Mais de nove toneladas de peixes foram apreendidas no período de defeso

Trabalho de fiscalização do Ideflor-bio ocorreu em Tucuruí, Breu Branco, Goianésia do Pará, Jacundá, Nova Ipixuna, Itupiranga e Marabá

10/03/2020 11h06 - Atualizada em 10/03/2020 11h45
Por Pryscila Margarido (IDEFLOR-BIO)

Mais de nove toneladas de peixes de várias espécies foram apreendidas durante as operações de fiscalização do período de defeso. As ações começaram em 1º de novembro de 2019, e terminaram no último dia 28 de fevereiro. No total, foram quase 70 dias de operações, que ocorreram em períodos intercalados durante os quatro meses do defeso, nos municípios de Tucuruí, Breu Branco, Goianésia do Pará, Jacundá, Nova Ipixuna, Itupiranga e Marabá.

Pescada branca, tucunaré e mapará estavam entre as espécies capturadas de forma irregular. O trabalho coordenado pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), por meio da Gerência da Região Administrativa Lago de Tucuruí (GRTUC), em parceria com a Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Secretarias Municipais de Meio Ambiente dos municípios abrangidos e o Comando de Policiamento Regional IV (CPR IV), resultou ainda na apreensão de quase 115 mil metros de redes de emalhar, 33 arpões, 192 pássaros e 46 armas de fogo.

Também foram apreendidos 115 mil metros de redes de emalhar, 33 arpões, 192 pássaros e 46 armas de fogoEm comparação com o período de defeso 2018/2019, houve uma redução em aproximadamente 42% na quantidade de pescado in natura apreendido. Mas, com relação aos utensílios de pesca proibidos, houve um aumento significativo. No caso das malhadeiras, o número quase quadruplicou, passando de 26.800 metros apreendidos no período de 2018/2019 para 114.900 metros nas ações realizadas em 2019/2020.

“A redução da quantidade de pescado apreendido é consequência da intensificação das ações de fiscalização no Mosaico Lago de Tucuruí (na água), que visa coibir a atividade de pesca ilegal. O principal objetivo da fiscalização ambiental no período do defeso é garantir o processo de reprodução das espécies. Essa foi a estratégia adotada pela coordenação das operações”, ressaltou Mariana Bogéa, gerente do Mosaico Lago de Tucuruí.

Os autos de infração foram lavrados pela SemasDefeso - A proibição da pesca comercial durante o período de defeso, na Bacia do Rio Tocantins/Gurupi, é uma ação regulamentada pela Instrução Normativa Interministerial N° 13, de 25 de outubro de 2011. Durante a operação, os autos de infração foram lavrados pela Semas.

“A estratégia adotada pela equipe técnica envolvida na atividade de fiscalização vem ao encontro da missão institucional do Ideflor-bio, que é conservar e preservar os recursos naturais das 26 Unidades de Conservação Estaduais”, reforçou a presidente do Ideflor-bio, Karla Bengtson.

Mosaico Lago de Tucuruí – É o conjunto de Unidades de Conservação administrado pelo Ideflor-bio. Foi criado pela Lei Estadual nº. 6.451, de 8 de abril de 2002, sendo uma região constituída por três Unidades de Conservação: a Área de Proteção Ambiental (APA) Lago de Tucuruí e as Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Alcobaça e Pucuruí-Ararão. Abrange os municípios de Tucuruí, Breu Branco, Goianésia do Pará, Jacundá, Novo Repartimento, Nova Ipixuna e Itupiranga.