Sedap e Sindfrutas discutem o fortalecimento da cultura do açaí no Pará

23/01/2015 14h22
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Uma reunião nesta sexta-feira, 23, no gabinete da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), entre o titular do órgão, Hildegardo Nunes, e dirigentes do Sindicato das Indústrias de Frutas e Derivados do Estado do Pará (Sindfrutas), discutiu propostas para fortalecer a cultura do açaí no Estado, com incentivo à regularização fundiária, pesquisa e aumento e verticalização da produção. “Vamos definir um plano de ação para o alcance desse objetivo”, assegurou o secretário, que pretende fomatar, em conjunto com o setor produtivo, um projeto que incentive o cultivo do fruto tanto em sistema de várzea como de terra firme. “A cultura do açaí é muito importante para o Estado porque gera, distribui renda e é ambientalmente sustentável, por isso sempre terá o nosso apoio”, ressaltou.

A presidente do Sindfrutas, Solange Mota, informou que atualmente mais de 90% da produção estadual de açaí vem das áreas de várzea, sendo que 80% da safra é colhida no segundo semestre, sendo necessário, portanto, investir em projetos de plantio para garantir o equilíbrio da produção o ano inteiro. “É importante manter o agricultor no campo e garantir que as fábricas funcionem na sua capacidade plena em todo esse período”, ressaltou, avaliando a reunião com o titular da Sedap como positiva pela visão técnica e empresarial que Hildegardo possui e, também, por conhecer bem a realidade do Marajó, uma das regiões que se destacam no cultivo da cultura.

Assegurado o apoio ao setor, o secretário de Desenvolvimento Agrário informou que irá se reunir com a direção da Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa) para discutir o lançamento de um edital de pesquisa que tenha como objetivo o fortalecimento da cultura de acordo com as demandas do setor produtivo, a partir do plano a ser elaborado. “O cultivo do açaí sob a ótica socioeconômica é de grande importância pelos efeitos sociais que produz, refletindo em visível ascensão social e melhoria qualidade de vida do agricultor”, frisou.