Campanha de verão da Sespa tem foco em ações de prevenção

01/07/2015 19h07
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Nesta quarta-feira, 1º, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) apresentou a Campanha de Verão 2015, que contará com três frentes de prevenção: contra as hepatites virais, Aids e DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e acidentes com escalpelamento em viagens de barco.

Os detalhes dessas ações foram divulgados durante coletiva de imprensa que contou com a participação do secretário estadual de Saúde, Vitor Mateus; pela coordenadora estadual de Hepatites Virais, Cisalpina Cantão; pela coordenadora estadual de DST/Aids, Deborah Crespo, e pela coordenadora estadual de Mobilização Social, Socorro Silva.

“Equipes móveis, cartazes, materiais didáticos, palestras em escolas e comunidades. Assim será a campanha de veraneio que terá um envolvimento maior com a população e sensibilizará organizações sobre alguns cuidados para diminuição dos riscos”, explicou o secretário Vitor Mateus, que também fez um alerta para a violência no trânsito vinculado ao alcoolismo e drogas neste período de veraneio.  

Hepatites - Em relação às hepatites virais, Cisalpina Cantão destacou a campanha de orientação e prevenção das hepatites virais, lançada pela Sespa em 22 de maio deste ano, o “Julho Amarelo”. O término da campanha está previsto para o Dia Internacional de Combate às Hepatites, no dia 28 de julho.

Para esse período, a Coordenação Estadual do Programa de Controle das Hepatites Virais providenciou 30 mil testes rápidos para a detecção dos tipos B e C para ações nos seguintes locais: Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, Paravidda, Uredipe e nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) dos municípios de Santarém, Marabá, Abaetetuba, Barcarena, Belém, Parauapebas e Bragança. Os testes têm sido realizados nos locais e municípios citados, de segunda a sexta, em horários determinados pelos municípios e responsáveis locais.

“Na campanha vamos falar sobre a importância da prevenção das hepatites B e C, através de testes que serão realizados até o dia 28 de julho. A pessoa só sabe que está com o vírus se fizer o teste, a doença é silenciosa”, disse Cisalpina Cantão.  

Entre 2007 e 2014 foram confirmados 2.211 casos do tipo B e outras 871 ocorrências da forma C. Só no ano passado, surgiram 242 casos de hepatite B, além de 91 do tipo C. Entre janeiro e maio deste ano já foram diagnosticados 299 pessoas com hepatites, das quais 148 com o tipo A; 102 com o vírus B e outras 49 para a tipagem C. A estimativa do Ministério da Saúde é que no Brasil 800 mil pessoas estejam infectadas pelo vírus B e 1,5 milhão de pessoas pela hepatite C. Da infecção até a fase da cirrose hepática, pode levar de 20 a 30 anos, em média, sem nenhum sintoma. 

Aids e DSTs - A Diretoria de Vigilância em Saúde, por meio da Coordenação Estadual de DST/AIDS, vai priorizar o público jovem durante a campanha. Segundo Déborah Crespo, nos últimos anos os casos de AIDS vêm crescendo nesta população em todo o país. No Pará, entre 2010 e 2014 obteve-se um aumento de 30% dos casos entre jovens na faixa etária de 13 a 24 anos.

“Em julho temos uma mobilização muito grande. As pessoas possuem o hábito de migrarem para balneários, e nessa época existem vários excessos, como o da bebida alcoólica e relações casuais que são momentos de maior vulnerabilidade a contrair doenças. Desta forma, vamos intensificar as ações educativas, com a distribuição de mais de 1 milhão de preservativos, vacinações e entrega de informativos para alertar a população”, disse Déborah Crespo.

As ações de verão visam despertar na população jovem uma consciência participativa, mudança de comportamento e adoção de prática de sexo mais seguro, através de uma abordagem interativa e educativa.

Na ocasião, serão disponibilizados testes com diagnóstico para HIV e Sífilis nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) e Serviço de Atendimento Especializado (SAE). A ação será executada nos finais de semana (2 a 5; 9 a 12; 16 a 19; 23 a 26) em parceria com os Centros Regionais de Saúde e dos seguintes municípios: Belém, Abaetetuba, Barcarena, Bragança, Salinas, Marudá, Mosqueiro, Soure, Salvaterra e Peixe-Boi.

Escalpelamento – A Comissão Estadual de Erradicação dos Acidentes com Escalpelamento (CEEAE) vinculada a Diretoria de Políticas de Atenção Integral à Saúde, composta em seu total por 16 órgãos que estão empenhados em elaborar e executar ações que visam erradicar os acidentes com escalpelamento no Pará. No ano passado, 11 casos de escalpelamento – incluindo uma morte - ocorreram no Pará. Em 2013, o número de vítimas chegou a 10. Este ano já foram registrados dois casos de escalpelamento.

“Nessa época há uma circulação maior de barcos e pessoas na água. Por isso, vamos trabalhar em 19 municípios, distribuindo materiais, conversando com os barqueiros, passageiros, fazendo palestras nas escolas e com os gestores locais. Vamos mostrar os cuidados que devem ser tomados para que os acidentes não acorram. Todos precisam ter conscientização, pois todos estão suscetíveis aos acidentes. Os municípios precisam assumir a causa do escalpelamento, para que a prevenção possa ser feita localmente”, cobrou a coordenadora Estadual de Mobilização Social, Socorro Silva.  

O objetivo do trabalho é a prevenção de novos casos de escalpelamento - acidente causado pelo eixo exposto dos motores das embarcações que, ao enroscar e puxar os cabelos longos das mulheres, arranca parte ou todo o couro cabeludo, levando até à morte. Esse tipo de agravo é muito recorrente no Pará, cujas características geográficas contribuem para que a população utilize as embarcações como meio de transporte principal, sobretudo às proximidades de festas religiosas e períodos de férias escolares.