Inflação na Região Metropolitana de Belém chegou a 1,08% em junho

09/07/2015 15h19

O período de recesso escolar trouxe consigo uma novidade nada animadora para quem pensa em aproveitar o veraneio. Os consumidores da Região Metropolitana de Belém já puderam sentir os impactos da inflação desde o mês de junho, quando a taxa foi de 1,08%. Segundo o levantamento mensal do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), produzido pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará (Fapespa), o vestuário foi o maior responsável pela alta registrada no índice geral, com 3,15%.

Na análise do IPC/Fapespa, a taxa ficou 0,18 ponto percentual acima do registrado em maio deste ano. Já o IPCA/Fapespa registrou taxa de 0,89%, em junho, ficando 0,33 ponto percentual abaixo do registrado no mês anterior.

O aumento na variação da inflação se deu, principalmente, em função dos seguintes itens: maiô (6,40%), biquíni (4,63%), short (5,19%), óculos esportivo (9,09%) e bronzeador (2,42%). Mas o aumento foi percebido ainda nos grupos de Despesas e Serviços Pessoais (2,17%), Saúde e Cuidados Pessoais (1,37%), Móveis e Equipamentos Domésticos (1,31%), Comunicação (0,95%), Transportes (0,69%), Alimentação e Bebidas (0,51%), Habitação (0,43%) e Educação, Leitura e Papelaria (0,17%).

IPC/Fapespa

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Região Metropolitana de Belém mensura as variações mensais de preços dos bens e serviços que compõem o orçamento das famílias com rendimentos entre um e oito salários mínimos, coletados nos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços e concessionária de serviços públicos.

Para acessar o informe IPC/Fapespa na íntegra, acesse http://www.fapespa.pa.gov.br/sites/default/files/informe_tecnico_ipc_junho_2015_oficial.pdf.

Por Redação - Agência PA (SECOM)