Emater recebe produtores de Marituba em feira para Dia das Mães

O evento realizado dentro da sede da Emater reuniu itens artesanais, de gastronomia e floricultura, entre outras produções

05/05/2022 12h19 - Atualizada em 05/05/2022 14h59

No corredor da Emater, em Marituba, a feirinha que dá visibilidade para a produção de artesãos e produtoresNeste domingo (8), a funcionária pública Isabel Fernandes, 73 anos, receberá como presente do Dia das Mães duas bonecas de pano, que foram adquiridas pela filha na feira realizada no escritório central da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater-PA), em Marituba, na Região Metropolitana de Belém, pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento da Agricultura, Aquicultura, Abastecimento e Pesca (Sedap), na manhã desta quinta-feira (5).

“Minha mãe gosta muito de bonecas, em razão de que ela teve uma infância com privações e, por isso, não as teve. Então, neste domingo, elas serão alguns dos presentes que ela irá ganhar e, com certeza, ficará muito feliz”, conta emocionada a servidora da Emater, Fabíola Queiroz, que também comprou um kit de sabonetes de andiroba e mel de abelha.Severino Pereira com as bonecas de pano

O casal Maria Batista e Moacyr Barbosa, do bairro Centro de Marituba, produz andiroba e mel na propriedade no distrito de Benfica, em Benevides. “Da andiroba são confeccionados sabonetes e repelentes misturados com aromas de frutíferas como o açaí, e o mel é comercializado in natura” explicou a produtora Maria Batista.

Além de itens artesanais, a feira deu espaço para gastronomia e floricultura. Shirley Macedo, moradora do bairro Novo Horizonte, vendeu pães de batatas e de rosas e bolos. “Trabalho com isso há 6 anos e esta é mais um oportunidade não apenas de venda direta, mas também de negócios futuros através de encomendas através da visibilidade que o evento nos proporciona”, disse Shirley, que estima um acréscimo de aproximadamente 15% na renda familiar com a participação em feiras.

Também moradora do bairro Novo Horizonte, a produtora Hebe Costa comercializou mudas de boldo, de tangerina, de canela, de ora-pró-nobis (uma planta comestível), além de envazados. “Vendi aqui palmeira, rosa do deserto, babosa, entre outras, tudo produzido na área externa de meu apartamento. Essa feira representa, para nós, a visibilidade para o nosso trabalho”, ressaltou a floricultora.

A técnica social da Emater, Sandra Filgueiras: "A feira em dia útil amplia o público consumidor", avalia ela. De acordo com a técnica social da Emater, Sandra Filgueiras, a ideia da feira dentro do órgão público surgiu pelo fato de que a maior parte dos eventos do calendário da Sedap ocorre em finais de semana. “Percebemos que, ao fazer a feira em dia útil, dentro dos órgãos, se possibilita a ampliação do público consumidor para o funcionalismo público”, destacou Sandra.

Para Moore da Silva, diretor de Agricultura, Aquicultura e Pesca da Sedap, a parceria com a Emater traz muitos benefícios para os produtores de Marituba. “A gente vê que esse momento é positivo, é mais uma oportunidade para os nossos produtores, e a Emater é nossa parceira de longa data, uma referência para nós nesse trabalho em prol da produção familiar do município, um trabalho que é um resgate da nossa gestão”, enfatizou o diretor.

O evento oportunizou a venda de itens diversos, como biojóias, acessórios pessoais, tucupi e gomaAs bonecas com as quais a dona Isabel será presenteada foram feitas pelas mãos da artesã Margarida Sousa, moradora do bairro Almir Gabriel e assistida pela equipe do escritório da Emater em Marituba. “Trabalhamos com artesanato desde 2010, antes disso eu fui camelô em Ananindeua por 30 anos. Eu vim hoje nesta feira, vender o artesanato feito pela minha mulher, a Margarida. É assim: eu ajudo ela, ela me ajuda, e a Emater ajuda a gente com esses espaços em que podemos mostrar e vender nossos produtos”, frisou Severino Pereira.

Estiveram ainda em exposição itens diversos para o lar como jogos de banheiro em crochê e panos de prato, biojóias, derivados da mandioca (tucupi e goma), e acessórios pessoais como chinelas decoradas. Os valores variaram entre R$ 5 (anel de tucumã) e R$ 100 (boneca de pano).

*Texto de Paula Portilho (Ascom Emater)  

Por Governo do Pará (SECOM)