Macrodrenagem do Tucunduba contempla espaços de lazer para mais qualidade de vida da comunidade

Conclusão de obras favorece ocupação do espaço público, fortalece laços sociais e a cultura local, além da valorizar o protagonismo e o senso de pertencimento

11/01/2022 13h02 - Atualizada em 11/01/2022 14h29

Por mais de três décadas a população do entorno do rio Tucunduba viveu com constantes alagamentos, lixo e entulho. A ocupação desordenada dos bairros do Marco, Canudos, Terra Firme, Guamá e Universitário, a partir da década de 1980, em Belém, trouxe impactos ambientais que mudaram a relação das pessoas com as águas. 

Com a finalização das obras de Macrodrenagem da Bacia do Tucunduba, abre-se um horizonte de novas conexões, a partir do protagonismo da própria comunidade, que gira em torno de 300 mil pessoas.  O projeto, orçado em cerca de R$ 250 milhões, foi executado com mais da metade do valor garantido com recursos estaduais, além de R$ 120 milhões financiados pelo governo federal.

Graça Brasil, moradora há mais de 20 anos, conta que o período intenso de chuvas sempre foi uma ameaça à segurança da família por conta dos alagamentos. “Quando cheguei aqui tinham duas pontes, de um lado e de outro, alagava muito. As pessoas tomavam banho (no rio). Eu elevei o piso da minha casa por causa das enchentes. Estamos esperando o mês de março para ver como vai ficar, mas acho que não alaga mais depois dessas obras. Hoje em dia já melhorou muito”, disse a aposentada.

Além da correção da estrutura do canal para garantir a vazão da água, o projeto foi conduzido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) e também contemplou a urbanização da área, com pavimentação asfáltica e construção de praças, parques infantis e quadras de esporte.

Vanessa Catete, diretora de Articulação e Mobilização Comunitária da Sedop, comenta a importância dos espaços. “Hoje, a gente consegue ver no Tucunduba áreas propícias para crianças e jovens, que antes não tinham e, simplesmente, as crianças brincavam na rua e correndo vários riscos. O Tucunduba privilegia qualidade vida para comunidade, em todos os aspectos como a mobilidade e saúde. A comunidade teve um avanço muito grande, hoje nós temos diversas praças que proporcionam lazer para a população local, principalmente para crianças porque há um espaço onde elas podem brincar com segurança”, pontua. 

Com a conclusão das obras, a população tem a oportunidade de sair da lama e colocar os dois pés na cidadania. O lazer representa muito mais do que ocupar o tempo ocioso. É uma forma, dentro dos seus próprios territórios, de fortalecer laços sociais e a cultura relativa àquela comunidade, além da valorizar o protagonismo e o senso de pertencimento.

Quando esse processo ocorre às margens de um rio caudaloso, como os quase 10 quilômetros de extensão do Tucunduba, reconfigura-se também a relação com o meio ambiente e a responsabilidade com o cuidado individual em prol do coletivo. 

Saiba mais:

Em Belém, macrodrenagem do Tucunduba chega à reta final com urbanização

Canal do Tucunduba: em fase de conclusão, obras vão beneficiar cerca de 300 mil pessoas

Sedop promove ação de plantio de árvores e educação ambiental no canal do Tucunduba, em Belém

 

Por Dayane Baía (SECOM)