Sine apoia recolocação profissional em vagas captadas com empregadores

Para as festas de final de ano, a Seaster espera a abertura de até 4 mil vagas temporárias nos setores do comércio e serviços

27/11/2021 15h02 - Atualizada em 27/11/2021 17h45

O Sistema Nacional de Emprego (Sine) é um serviço público e gratuito de apoio ao trabalhador, que ajuda na organização do mercado de trabalho. As principais ações disponibilizadas na rede de atendimento são a intermediação de mão de obra e a habilitação ao seguro-desemprego.

Pedro Lúcio, diretor de Trabalho e Emprego da Secretaria de Assistência Social, Trabalho Emprego e Renda (Seaster), destaca o aumento da oferta de vagas de emprego. “Entre final de novembro e início de dezembro estão previstas contratações de cerca de 4 mil trabalhadores no período das festas de fim de ano, com vagas temporárias, normalmente oferecidas pelo comércio e setor de serviços. Isso está sendo possível pela retomada da economia a partir do controle da pandemia, com o processo de vacinação, e as medidas que o governo tem tomado, como a injeção do 13º do funcionalismo público. Agora vai entrar o da iniciativa privada”, informa.O Sine vê o aumento das vagas no mercado de trabalho devido ao avanço da vacinação contra a Covid-19

A intermediação de mão de obra visa colocar trabalhadores no mercado de trabalho, por meio de vagas captadas com empregadores, reduzindo o tempo de espera e a assimetria de informação existente no mercado de trabalho, tanto para o trabalhador quanto para o empregador. “O Sine está dialogando permanentemente com as empresas no sentido de elas oferecerem as vagas pela rede, na nossa plataforma Emprega Mais, e encaminhar trabalhadores para disputarem essas vagas para garantir as suas rendas e o sustento de suas famílias. A empresa precisa de um profissional que já tenha certa experiência, tanto na área do comércio quanto de serviços, para ajudar no desenvolvimento das atividades econômicas”, acrescenta o diretor.

Idevaldo Rodrigues de Brito, procura vaga de carpinteiroVoltar ao mercado - Idevaldo Rodrigues Brito, carpinteiro, procura vagas formais na área da construção civil. “Eu sou cadastrado aqui e passo de vez em quando para ver se aparecem vagas no meu perfil. Trabalhei 27 anos em construtora de prédios, mas com a pandemia fiquei desempregado. Faço bicos, mas desejo voltar para o mercado de trabalho”, contou Idevaldo Brito.

Rosângela Barros de Souza levou o filho para regularizar a situação cadastral e pleitear uma vaga no ramo de pescado. “Agora é tudo on-line. Então, a gente procura se informar. Para a graça de Deus fui muito bem recebida e atendida. Ele é um pouco calado, e eu, como mãe, sempre procurei o caminho do bem para os meus filhos”, disse a aposentada.O Sine oferece atendimento gratuito aos trabalhadores

As principais etapas do serviço de intermediação de mão de obra são: inscrição do trabalhador; registro do empregador; captação e registro de vagas de trabalho; cruzamento de perfil dos trabalhadores cadastrados com o perfil das vagas captadas; convocação de trabalhadores conforme pesquisa de perfil e encaminhamento para entrevista de emprego, e registro do resultado do encaminhamento.

O serviço de intermediação de mão de obra pressupõe a administração das vagas, do momento de sua captação até seu preenchimento – ou, eventualmente, até a extinção do prazo definido pelo empregador para a seleção. Em todas as etapas, é necessário o gerenciamento e controle das informações.

Reforço - As datas comemorativas de final de ano aumentam as esperanças de quem busca recolocação profissional. Adriana Rocha dos Santos, doméstica, também procurou o Sine. “Vim tirar minha carteira de trabalho porque estou correndo atrás de um emprego agora. Tenho uma proposta em loja do comércio. Já faz muito tempo que estou afastada do trabalho e tenho que voltar à ativa. Eles estão chamando agora que chegam Natal e Ano Novo, e eles precisam. Quero me encaixar em uma dessas vagas”, disse Adriana.Adriana Rocha dos Santos quer uma das vagas de final de ano

Para a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o avanço da vacinação contra a Covid-19, e o consequente aumento da circulação de consumidores, deve fazer com que o Natal deste ano registre a maior oferta de vagas temporárias para o período nos últimos oito anos. A estimativa é que 94,2 mil trabalhadores temporários sejam contratados até o final do ano no País.

Pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) estima a abertura de 105 mil vagas até dezembro pelos setores varejista e de serviços.

No Pará, a estimativa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) é a criação de pelo menos 4 mil vagas de emprego, um número que fica acima da média do ano passado, mas bem menor se comparado aos períodos anteriores à pandemia.

Serviço: Para saber sobre o funcionamento e horário de atendimento acesse o site oficial da Estação Cidadania.

Por Dayane Baía (SECOM)