Hospital Regional Público de Castanhal vai iniciar atendimento em seis especialidades

A unidade também ofertará diagnóstico com exames laboratoriais, de imagem e métodos gráficos

27/11/2021 09h02 - Atualizada em 27/11/2021 09h55

Hospital Regional Público de Castanhal: referência para moradores de vários municípios do ParáO Hospital Regional Público de Castanhal (HRPC) vai iniciar, na próxima semana, o atendimento ambulatorial e internação hospitalar em diversas especialidades médicas, além do serviço de apoio diagnóstico com exames laboratoriais, de imagem e métodos gráficos.

Na tarde de sexta-feira (26), o titular da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Rômulo Rodovalho, assinou um termo aditivo de contrato com a organização social que administra o Hospital para garantir a ampliação do atendimento. Em seguida, ele e outros integrantes da Sespa se reuniram com secretários municipais de Saúde da região para discutir o fluxo de encaminhamento de pacientes - já programado para iniciar nesta segunda-feira (29).

Inicialmente, o Ambulatório vai disponibilizar consultas médicas em Dermatologia, Cardiologia, Pneumologia, Endocrinologia, Neurologia e Hematologia, enquanto o Serviço de Apoio Diagnóstico ofertará exames de ressonância magnética, tomografia geral, tomografia com contraste, ultrassonografia, ultrassonografia com Doppler, radiografia geral, mapa, holter, colonoscopia, endoscopia, eletrocardiograma, ecocardiograma e análises clínicas.Equipamentos garantem a oferta de exames de imagem essenciais para diagnóstico e tratamento

Quanto à internação hospitalar, o HRPC iniciará suas atividades com 60 leitos clínicos e 40 leitos de UTI adulto (20 para cardiologia e 20 gerais) e, por enquanto, manterá os 30 leitos clínicos e os 20 de UTI para atendimento exclusivo de casos de Covid-19 em ala específica, que são fundamentais para a retaguarda na Região Metropolitana II.

Segundo o secretário Rômulo Rodovalho, haverá repactuação de metas entre a Sespa e organização social que gerencia o HRPC. “Continuamos investindo na descentralização dos serviços de média e alta complexidade no Pará. Nesse caso, nossa finalidade é facilitar o acesso dos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) das regiões Metropolitana I e II, e também da Região de Integração Rio Caetés, disponibilizando serviços cada vez mais perto de onde moram”, disse o titular da Sespa.

A secretária municipal de Saúde de Castanhal, Marileide Nascimento, falou sobre o impacto da abertura do HRPC para a população. "É de um ganho enorme dar início ao atendimento de especialidades que não tínhamos, e que muitas vezes demandaram a transferência do paciente para Belém. Agora teremos tudo isso aqui. É o início de um novo tempo", afirmou a gestora.

Pandemia - Para atender exclusivamente casos de Covid-19, o governo do Estado antecipou a entrega do Hospital Regional de Castanhal para o dia 3 de junho de 2020, a fim de assegurar atendimento aos usuários de 49 municípios da região Nordeste. Durante os quatro meses em que funcionou exclusivamente para atender casos de Covid-19, foram atendidas 256 pessoas. O HRPC vai continuar mantendo leitos específicos para tratamento de pacientes com a Covid-19

A proposta do governo do Estado era reabrir o HRPC em 2021, já com o perfil para o qual foi construído, que é ter 160 leitos e ser referência em Oncologia e Traumatologia. No entanto, com o recrudescimento da Covid-19 no início deste ano, o Hospital voltou a funcionar no dia 26 de fevereiro de 2021 novamente para o atendimento exclusivo de pacientes com a Covid-19. 

Até o último dia 24 de novembro, o HRPC estava com 31 pacientes internados, sendo 19 em leitos de UTI. No total, 1.602 pacientes já foram atendidos na unidade hospitalar, 1.140 receberam alta médica, 16 foram transferidos e 415 faleceram. 

Referência – O HRPC também se tornará referência em Oncologia e Ortopedia e ofertará cirurgias de alta complexidade, com capacidade para 650 internações hospitalares mensais, 5 mil diagnósticos e 11 mil consultas nas duas especialidades para o atendimento de pacientes de Castanhal e de municípios da região Nordeste.

Rômulo Rodovalho informou que o atendimento oncológico será completo, incluindo radioterapia e quimioterapia. “Nossa expectativa é que o Hospital atenda a um número considerável de pacientes de câncer, que não vão mais precisar se deslocar até Belém para fazer esse tipo de tratamento", adiantou o secretário, anunciando ainda que está em andamento a licitação para compra dos equipamentos necessários para a total assistência aos pacientes com câncer.

Serviço: O HRC não funciona no regime de portas abertas. Todos os pacientes são encaminhados pelo Sistema de Regulação Estadual. (Colaboração de Carol Menezes – Secom).

Por Caroliny Pinho (SESPA)