Cerimônia de homenagem aos doadores fenotipados do Hemopa é marcada por emoção

22/11/2021 16h01 - Atualizada em 22/11/2021 16h37

Motivos para comemorar é o que não faltam neste mês dedicado ao doador de sangue. O Instituto Àster marcou presença no Hemopa com uma caravana de mais de 30 pessoas para fazer a doação de sangue. “Estamos completando 7 anos de história e é uma satisfação muito grande festejar aqui no Hemopa, porque sabemos que a doação de sangue é importantíssima para nossas crianças que precisam constantemente. As doações reduziram bastante por causa dessa época em que vivemos e nós temos que retomar o ritmo”, disse Gisele Brito, farmacêutica e uma das coordenadoras do Instituto, organização sem fins lucrativos que se dedica a ajudar voluntariamente crianças e adolescentes de vários municípios do Pará e até mesmo de fora do estado, em tratamento oncológico em Belém/PA.

A Fundação Hemopa convidou os doadores fenotipados para uma homenagem especial na sede do Hemocentro, no último sábado em Belém. O presidente da Fundação, Paulo Bezerra, agradeceu o empenho destes doadores especiais. “Só temos motivos para agradecer a cada um de vocês que nos ajudam a cumprir com essa missão de salvar vidas. Os nossos pacientes dependem de transfusões todos os dias para lutar pela vida e vocês são os responsáveis por isso. Vocês salvam vidas!”, disse emocionado. 

O encontro foi no Auditório Osvaldo Bellarmino e contou também com a presença de pacientes que receberam ou ainda recebem transfusões. A emoção foi inevitável após cada depoimento de paciente. Sandro Ferreira, cirurgião dentista e doador de sangue há mais de 20 anos, não conseguiu segurar as lágrimas. “Eu ajudo e nunca imagino a história de quem vai receber esse sangue. Mas neste dia me emocionei demais ao ouvir as histórias dos pacientes. E o ponto alto foi quando eu recebi a cartinha, me emocionei bastante. Era de uma mãe, que tem uma filha com o mesmo nome que a minha. Mexeu bastante comigo”, disse o cirurgião dentista que revelou ter deixado de ir trabalhar no consultório para estar presente neste momento. 

As cartinhas de pacientes também são presentes especiais para os doadores. Crianças, jovens e adultos, escreveram e desenharam em folhas de papel para demonstrar gratidão pelo ato de doar sangue. Durante os dias, as cartas serão distribuídas aleatoriamente aos doadores voluntários do Hemopa. 

E a homenagem não parou por aí. Nilson Chaves e Mariza Black também estiveram presentes e cantaram para os doadores voluntários. 

A doação de sangue é um gesto de solidariedade que só depende de cada cidadão saudável. Uma bolsa de sangue doada pode beneficiar até quatro pacientes.

Para doar é simples. Os interessados precisam seguir os critérios básicos: ter entre 16 e 69 anos, (menores de idade devem estar acompanhados do responsável legal); pesar mais de 50 kg; estar em boas condições de saúde.

No momento do cadastro, é obrigatório apresentar um documento de identificação oficial, original e com foto (RG, CNH), passaporte ou carteira de trabalho).

Quem teve Covid-19 também pode voltar a doar, só precisa esperar 30 dias após a cura. Quem teve contato com pessoas que tiveram a doença deve esperar 14 dias após o último contato. Para quem recebeu a vacina Coronavac/Butantã, são 48 horas de inaptidão para doação, após cada dose. Já as demais vacinas basta esperar sete dias após cada dose.

Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)