Vítima de explosão em barco tem alta do Hospital Metropolitano, em Ananindeua

Embarcação transportava combustível e pegou fogo em 8 deste mês, de outubro, após um dos tonéis com óleo explodir, no porto, no município de Chaves, no Marajó

22/10/2021 16h11 - Atualizada em 22/10/2021 17h14

Uma das quatro vítimas da explosão em uma embarcação ocorrida no dia 8 deste mês, em Chaves, no Marajó, recebeu alta do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém. Waldemar Amaral da Trindade, de 57 anos, chegou ao hospital em 9 de outubro, foi intubado e após um período na UTI, conseguiu se recuperar e ir para a enfermaria, até receber alta nesta quinta-feira (21).Waldemar Trindade, de 57 anos, saiu do hospital nesta quinta, 21  

“Eu agradeço muito a minha saída a Deus e a essa equipe que me ajudou em todos os momentos. Sou grato a todos eles. Desde que aconteceu o acidente, eu só lembro do momento em que pulei n'água para me salvar e já estava aqui no hospital. Tenho certeza que se eu não viesse para cá jamais estaria vivo. Tive muito medo de morrer. Em todos os momentos, eu pensava no meu filho e pedia a Deus para sobreviver. Ele ouviu e agora eu vou para casa. O meu coração está feliz”, disse Waldemar Trindade, ao sair do HMUE. 

A embarcação que transportava combustível entrou em chamas na tarde da sexta-feira (8), após um dos tonéis com óleo explodir. O barco estava no porto de Igarapé-Miri, no município de Chaves, no Marajó. Ao todo, seis pessoas ficaram feridas. Dois deles foram atendidos no hospital Municipal de Chaves e tiveram alta após as melhoras.

Para o resgate dos demais quatro feridos, que apresentaram queimaduras, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) montou uma força-tarefa articulando apoio com o Estado do Amapá, para os primeiros atendimentos aos feridos, tendo em vista a proximidade do município de Macapá com o local do acidente. Uma equipe do estado vizinho realizou o resgate aéreo dos primeiros feridos, conduzindo-os para o hospital da capital amapaense.

Simultaneamente, uma equipe técnica da Sespa, contando com médicos e enfermeiros, sendo uma enfermeira especialista em atendimentos a queimados do Hospital Metropolitano, decolou do Pará para o Amapá, com medicamentos e suprimentos médicos para os primeiros atendimentos e a estabilização dos quatro pacientes até que eles pudessem ser transferidos para o Hospital Metropolitano.  

Desses quatro, dois seguem internados no HMUE e outro não resistiu aos ferimentos. A Sespa ressalta que não divulga quadro clínico de pacientes a pedido dos familiares e em respeito à privacidade dos pacientes.

Por Mozart Lira (SESPA)