Pará adquire um milhão de doses de vacina do Instituto Butantan

Já na próxima semana, duas remessas chegarão para acelerar a imunização dos paraenses

22/09/2021 18h06 - Atualizada em 22/09/2021 18h25

Helder Barbalho (primeiro à esquerda) ao lado dos demais governadores com uma dose da vacina CoronavacEm agenda na capital paulista nesta quarta (22), o governador do Pará, Helder Barbalho, e mais quatro governadores celebraram a primeira aquisição de vacinas do Instituto Butantan por entes subnacionais após o fim do contrato com o Ministério da Saúde. Ao Pará devem chegar, já na próxima semana, dois lotes de Coronavac totalizando um milhão de doses.

Participaram os governadores Camilo Santana (Ceará), Wellington Dias (Piauí), Renato Casagrande (Espírito Santo), sendo recebidos por João Dória (São Paulo). O Mato Grosso também está sendo contemplado.

“A razão que traz governadores de diferentes regiões do país a São Paulo é a mais nobre. É celebrar a vacina Coronavac, produzida pelo Butantan, para salvar vidas e proteger a saúde de suas populações. Serão liberados aos estados um total de 2,5 milhões de doses de vacinas do Butantan para que mais brasileiros do Nordeste, Sudeste, Norte e Centro Oeste possam ser mais rapidamente imunizados”, disse João Doria, governador de São Paulo.

Helder Barbalho e João Dória ao centroO governador Helder Barbalho destacou que o dia marca mais um passo da união de esforços, em favor da vida, da proteção e da imunização dos brasileiros. “Graças à ciência, à pesquisa e a um conjunto de cidadãos e cidadãs que se doam a esta causa, o mundo descobriu a vacina, que está sendo a única alternativa para que possamos nos proteger e consequentemente virar a página deste momento dramático da vida mundial”, afirmou Helder Barbalho.

Helder salientou o diálogo com a instituição para o avanço do esquema vacinal. “Certamente, nós, ao dialogar com o Instituto Butantan e haver o aceite por parte deles de comercializar direto com os estados o seu imunizante, mostra a vontade em somar esforços para defender a população brasileira. Só no Pará, por exemplo, existe uma defasagem de entrega de vacinas (por parte do governo federal), de 1,4 milhões de doses, por isso, é hora de somarmos esforços". 

“Nós não podemos ficar aguardando. Devemos somar aquilo que vem do Ministério da Saúde com o que o Governo do Estado se dispõe a adquirir para que possamos ter um volume significativo e imunizarmos toda a nossa população”, acrescentou o Helder Barbalho.

O governador do Pará, Helder Barbalho, durante discursoCom a previsão de chegada de dois lotes de 500 mil doses cada, já na próxima semana, a vacinação no Pará irá avançar. “Nós faremos a busca por todos os públicos adultos que já foram chamados mas que, por algum motivo, não vacinaram. Além disto, vamos dialogar com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para saber sobre o aceite de utilização como terceira dose para os idosos, assim como aguardar a sinalização, também por parte da Anvisa, se ela poderá ser aplicada em jovens de 17 a 12 anos", explicou o governador do Pará.

A dose de vacina adquirida custará US$ 10,30, mesmo valor comercializado com o Ministério da Saúde. O Instituto Butantan finalizou a entrega das 100 milhões de doses ao Programa Nacional de Imunização (PNI), com a liberação de um lote de mais de 6,9 milhões de doses da Coronavac, no último dia 15. As vacinas liberadas faziam parte do segundo contrato firmado com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de doses. O primeiro, de 46 milhões, teve a entrega concluída em 12 de maio.

Por Dayane Baía (SECOM)