Pará apresenta crescimento consecutivo de vendas no varejo

Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que estado acumula alta de 17,4% nos últimos 12 meses

12/08/2021 10h23 - Atualizada em 12/08/2021 10h54

As vendas no varejo cresceram 1,9% do mês de maio para junho de 2021 no Pará, chegando ao terceiro mês de aumento consecutivo no setor. É o que aponta a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada, nesta quarta-feira (11), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com o objetivo de produzir indicadores que permitam acompanhar a evolução do comércio varejista brasileiro.

Entre as 27 unidades da federação, o Pará teve o terceiro melhor desempenho, ficando abaixo apenas do Ceará (2,5%) e do Espírito Santo (2,2%). A partir desse resultado, o estado acumula alta de 17,4% nos últimos 12 meses, ocupando a terceira melhor posição também nesse indicador. Neste ano, a alta acumulada é de 17,2%.

“O esforço conjunto de ações do governo do Pará e as sementes que foram plantadas ao longo do tempo estão sendo colhidas agora. O ambiente de negócios no Estado tem melhorado significativamente”, assegura a presidente da Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa), Cilene Sabino.

Belém ocupa o primeiro lugar no ranking do Doing Business Subnacional Brasil 2021, do Banco Mundial, no quesito abertura de empresas, conforme relatório divulgado no mês de junho pelo Ministério da Economia.

“Esses resultados atraem os olhos do mundo para a economia do nosso Estado, que é rico em criatividade e se reinventa diariamente, fomentando a economia. Isso tudo com a promoção da diversidade, da inclusão social e econômica por todo o Pará”, destaca a presidente.

Enquanto o comércio brasileiro apresentou uma queda média de 1,7% em junho, as vendas no Pará continuaram subindo, em decorrência, especialmente, da procura do consumidor paraense a partir das ações do poder executivo estadual para fomentar a economia. Na comparação com junho de 2020, o comércio varejista aumentou em 5,8% as suas vendas.

Por Giovanna Abreu (SECOM)