Capanema sediará I Encontro de Referências Técnicas em Saúde do Trabalhador

O objetivo é qualificar as equipes para a implantação de protocolos de Atenção e de Linhas de Cuidado em Saúde do Trabalhador na Rede do Sistema Único de Saúde

25/07/2021 19h14 - Atualizada em 25/07/2021 20h37

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) realizará, nos dias 27 e 28 de julho, no auditório do 4º Centro Regional de Saúde, em Capanema, o I Encontro de Referências Técnicas em Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. 

Organizado pelo Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest Estadual) e pelo 4º CRS, o objetivo do evento é qualificar as Referências Técnicas em Saúde do Trabalhador dos municípios da área de abrangência do 4º CRS, ou seja, Augusto Corrêa, Bragança, Bonito, Capanema, Cachoeira do Piriá, Nova Timboteua, Ourém, Peixe-Boi, Primavera, Quatipuru, Salinópolis, Santarém Novo, Santa Luzia do Pará, São João de Pirabas, Tracuateua e Viseu.

O coordenador do Cerest Estadual, Eimar Neri de Oliveira Júnior, informou que Referências Técnicas fazem parte da Vigilância em Saúde e da Atenção Básica e que sua principal finalidade é promover a implantação dos protocolos de Atenção e de Linhas de Cuidado em Saúde do Trabalhador na Rede do Sistema Único de Saúde (SUS), no Pará, com vistas a fortalecer a Política de Saúde do Trabalhador por meio da integração, articulação e comunicação com os níveis central e regionais da Sespa.

Segundo Eimar Júnior, atualmente, a Rede de Saúde do Trabalhador do Pará ((Renast-PA) é formada pelas Unidades de Saúde da Atenção Básica, de Média e Alta Complexidade e de Urgência e Emergência, pelo Cerest Estadual, que é ligado à Diretoria de Vigilância em Saúde da Sespa e mais seis Cerests Regionais sediados em Belém (Região Metropolitana), Marabá (Carajás), Santarém (Baixo Amazonas), Conceição do Araguaia (Araguaia), Tucuruí (Lago de Tucuruí) e Altamira (Xingu), sendo que esse último tem gestão estadual.

“Ainda temos o imenso desafio de implantar em 73 municípios pontos de atuação para percepção dos acidentes relacionados à prática ou durante o trabalho. Além disso, nas Regiões de Saúde onde ainda não existem Cerests Regionais, a responsabilidade das ações é do Cerest Estadual, ressaltou o coordenador do Cerest Estadual.

A capacitação sobre as Referências Técnicas em todo o estado quer cumprir o que prevê a Resolução 603 de 2018, do Conselho Nacional de Saúde, que aprovou o relatório da Câmara Técnica da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (CISTT/CNS), que apresenta proposta de reorganização da Atenção Integral à Saúde dos trabalhadores no SUS com o objetivo de desenvolver  um  novo modelo de organização dos Cerests, visando à correção das assimetrias existentes entre as diversas regiões e em atendimento às realidades locais. 

A resolução também previu o encaminhamento do relatório para o Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) para que tomassem providências para a implantação dos Cerests até o ano de 2019, conforme previsto no Plano Plurianual 2016/2019 (Lei nº 13.249/2016).

De acordo com Eimar Júnior, entre as medidas previstas no Plano está a meta a definida pelo Ministério da Saúde de assegurar 100% das Regiões de Saúde com cobertura de pelo menos um Cerest. 

Além de técnicos das Referências Técnicas, o Encontro contará com a participação de outros profissionais de saúde e entidades de classe. “Assim como o olhar deve ser biopsicossocial a definição das doenças ocupacionais também envolve diversos olhares”, comentou Eimar Júnior,responsável pela abertura do evento ao lado da diretora do 4º CRS, Patrícia de Fátima Lima da Silva.

Por Roberta Vilanova (SESPA)