Emater participa, em Tomé Açu, de ação interinstitucional para melhoria na cadeia produtiva da Pimenta do Reino no Pará

27/05/2021 15h28

A partir desta quinta-feira (27), gestores e técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) se reúnem a outros gestores e técnicos de instituições públicas municipais, estaduais e federais, além da iniciativa privada, em Tomé-Açu, para dar início a primeira das 17 ações definidas pelo Grupo de Trabalho (GT) coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário de da Pesca (Sedap) voltadas a melhoria da cadeia produtiva da Pimenta do Reino no Pará.

“Essas ações envolvem, além da elaboração de material informativo, como cartilhas e vídeos, a realização de palestras e Assistência Técnica (Ater) Emergencial para que possamos ir a campo nos municípios de maior produção no Estado, levando as orientações necessárias para as melhorias na produção”, explica a coordenadora do GT, Márcia Tagore.

A programação em Tomé Açu inicia com uma reunião e segue com palestras que se estenderão até a sexta- feira (28), voltadas às boas práticas na cadeia de produção, como explica o engenheiro agrônomo da Emater, Ricardo Dohara, que será um dos palestrantes do evento.

“Na reunião com autoridades será ressaltada a importância da pimenta do reino para a economia, tanto do município, como do Estado, e o papel de cada um nesse esforço conjunto. Já as palestras serão voltadas ao setor produtivo, pois sabemos que os nossos produtores tem uma grande experiência no cultivo da pimenta, mas nós precisamos fazer alguns ajustes sobre a melhor forma de colher, secar e armazenar, para que possamos ter um produto de mais qualidade para atender às necessidades do mercado que está cada dia mais exigente”, explica Dohara.

O município de Tomé Açu foi o escolhido para a primeira ação por ser o maior produtor de pimenta do Reino no Pará e ser também o local onde historicamente se deu a introdução da espécie na Amazônia e no Brasil, feita no início do século passado por imigrantes japoneses. Além de Tomé Açu, outros municípios produtores da pimenta do reino receberão ações emergenciais de Ater, explica Márcia Tagore, coordenadora do GT.

“Essa cadeia produtiva é muito importante, porque ela envolve mais de 70 mil famílias no Pará. Por isso, a Sedap está empenhada em resolver essa questão da melhoria da qualidade, da assistência técnica, inspeção sanitária e do monitoramento para fazer a rastreabilidade e ter essa parceria mais alinhada com todos os setores.

Já com foco nas Ações de Ater que serão desenvolvidas nesse processo, a presidente da Emater, Lana Roberta dos Reis, pleiteou recursos extraordinários em reunião com o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada esta semana em Brasília e voltou com expectativas positivas.

“A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, nos direcionou ao secretário de Agricultura Familiar do Mapa, Fernando Schwanke, que sinalizou a mim e ao secretário Alfredo Verdelho (Sedap) que é possível estabelecer um convênio que vise a garantia dos recursos necessários para as ações emergenciais de Ater, para serem aplicadas ainda este ano”, informou a presidente.

Para o engenheiro agrônomo, Ricardo Dohara, com a execução das Ações de Ater será possível obter as melhorias necessárias à cadeia produtiva, proporcionando o aumento da produção e das exportações do produtos.

“O Estado do Pará tem terras disponíveis, tem a tradição da produção, tem agricultores com experiência. Nós temos portos para exportação, temos aqui sediadas também indústrias exportadoras e com muita experiência internacional, além de contarmos com clima favorável pra produzir, assistência técnica qualificada, assim como instituições para dar apoio, como a Embrapa na pesquisa, a Adepará na parte da defesa agropecuária, a Emater na Assistência Técnica, os bancos de fomento e muitas outras que fazem parte dessa parceria e cuja a união vai viabilizar a produção de uma pimenta do reino de altíssima qualidade”, afirma o engenheiro agrônomo.

A primeira ação do GT da Cadeia produtiva da pimenta do reino acontecerá até esta sexta-feira (28), em Tomé Açú e contará com a presença de representantes de várias instituições públicas e privadas ligadas ao setor produtivo além de produtores e agricultores familiares. Entre as instituições presentes estão a Emater, a Sedap, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), a Embrapa, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a prefeitura e câmara de Tomé Açu, além de bancos, associações, cooperativas e sindicatos do município.

Por: Etiene Andrade (Ascom/Emater)

Por Governo do Pará (SECOM)