Higiene e distanciamento são indispensáveis nesta Páscoa 2021

Vigilância Sanitária da Sespa alerta que é fundamental manter o distanciamento mínimo de 1,5m, e evitar aperto de mão ou contatos mais próximos, como abraços

03/04/2021 14h36 - Atualizada em 04/04/2021 16h13
Por Carol Menezes (SECOM)

Páscoa 2021: o anjo do outro é você; use máscaras, higienize as mãos com água, sabão ou alcool em gel e mantenha o distanciamentoO Pará superou os 420 mil casos confirmados de Covid-19, portanto, o período da Páscoa, normalmente marcado por reuniões em família, precisará novamente ser um momento de distanciamento e isolamento social. Para reduzir o risco de contaminação, a regra número um ainda é ficar em casa, somente convivendo com as pessoas com quem se mora.

Embora não seja recomendado, por uma questão de saúde coletiva, se for o caso receber convidados, ou celebrar a data em outro local, as recomendações são de cuidados redobrados. As pessoas sintomáticas ou aquelas que ainda estão no período de 14 dias desde o primeiro dia de sintomas não devem sair de casa nem receber visitas neste fim de semana. A máxima vale também para quem teve contato nos últimos 14 dias com alguém que teve a doença recente. Para as pessoas do grupo de risco, convém ficar mesmo em casa.

Milvea Carneiro, diretora de Vigilância Sanitária da Sespa, lembra que, para todas as hipóteses, o uso de máscara é obrigatório sempre que não estiver comendo ou bebendo. É importante ter máscaras-reserva para garantir uma troca a cada duas horas, ou se o acessório sujar ou ficar úmido. "Evitar aglomerações é fundamental, mantendo distanciamento mínimo de 1,5m. Aperto de mão ou contatos mais próximos, como abraços e beijos, devem ser evitados ao máximo", orienta. 

Distanciamento social na Páscoa 2021 é essencial nesse momento de pandemia, quando o Pará registra os 420 mil casos de covid-19Vale ressaltar que, conforme o decreto estadual vigente sobre regras de circulação de pessoas, o bandeiramento vermelho permite até 10 pessoas reunidas em um ambiente. Talheres e copos não devem ser compartilhados, e a higienização das mãos deve se repetir após contato com louças de uso coletivo, como jarras e utensílios de servir comida. "As pessoas devem preferir locais abertos e bem ventilados, e com acesso a álcool em gel ou sabão e água para garantir a higiene frequente das mãos", reforça Milvea Carneiro.

Até o dia 2 de abril, o Pará tinha 422.442 resultados positivados para o novo coronavírus, e 385 amostras em análise. Vítimas fatais da doença somam 10.693, e recuperados, 393.099.