Programa 'Sua Casa' é opção para famílias que tiveram suas residências destelhadas

Em cinco dias, 15 famílias da Região Metropolitana de Belém foram atingidas e podem ser inscritas no Programa do governo estadual

17/03/2021 09h37 - Atualizada em 17/03/2021 11h56

Equipes do Estado durante o levantamento sobre os prejuízos que as famílias tiveramLarissa Isabela Martins do Reis passou parte da terça-feira (16) tentando reorganizar a casa depois que o telhado do segundo andar foi arrancado pela força do vento na segunda-feira (15). A dona de casa mora no bairro da Pratinha, em uma comunidade que foi atingida por uma chuva rápida, mas que trouxe uma ventania que foi capaz de retirar a cobertura de algumas residências. Sem parte do telhado, ficaram os prejuízos. “A minha família perdeu sofá, colchão e a gente teve que sair correndo pra retirar o que foi possível, mas o estrago foi grande”, avaliou a dona de casa.

Cacos de telhas e pedaços de madeira foram espalhados pela passagem Natal e no quintal de casas vizinhas. No total, oito casas foram vistoriadas pela equipe de engenheiros da Companhia de Habitação do Estado do Pará (Cohab). Os técnicos passaram parte do dia analisando o impacto e o prejuízo deixado pela ventania. A Defesa Civil de Belém também esteve no local fazendo o levantamento das famílias atingidas.

"A Defesa Civil de Belém tomou conhecimento do fato na noite de segunda (15) e realizou a vistoria logo na manhã de hoje (terça, 16). Imediatamente, acionamos a Funpapa e a Cohab, como de costume em situações como esta. Estabelecemos essa parceria com o governo do Estado para que a concessão do auxílio 'Sua Casa' seja viabilizada de maneira mais rápida para as famílias que se enquadram nos requisitos do programa", detalhou Christiane Ferreira, coordenadora da Defesa Civil de Belém.

Em menos de cinco dias, 15 famílias da Região Metropolitana de Belém foram atingidas e podem ser inscritas no Programa do governo estadual. Essa é a segunda vez que casas são destelhadas na RMB. O primeiro episódio ocorreu no bairro Águas Brancas, em Ananindeua, no último dia 11, quando outras sete casas foram destelhadas.

A casa de dona Isabel Alves de Moraes, em Ananindeua, foi parcialmente destelhada. A cadeirante tem 50 anos e conta que ver o apoio trouxe conforto neste momento de recomeçar. “Eu não esperava esse apoio tão rápido. Ver que Cohab esteve aqui agora de manhã é um muito bom. Principalmente porque nós tivemos muitos dados em casa e a ajuda agora vai ser muito bem-vinda”, destacou a moradora.

A Companhia de habitação paraense vai até o local onde ocorreu sinistros, como vendaval e incêndios para avaliar os impactos nas construções e as condições socioeconômicas das famílias, a partir dos critérios do “Sua Casa”. O programa do governo do Estado concede auxílio de até R$ 21 mil para aquisição de material de construção e pagamento da mão de obra para construção, reconstrução e reforma de casas de pessoas carentes. O principal critério para receber os benefícios habitacionais é que a renda da família interessada seja de até três salários mínimos.

Para o presidente da Cohab, Orlando Reis, o atendimento às vítimas de sinistros é uma prioridade para a Companhia. "O nosso programa atende as famílias que foram vítimas de sinistros, como é o caso das duas situações que ocorreram em pouco tempo. O serviço realizado em situações como essa são desenvolvidos com rapidez” destacou Reis.

Serviço:

Quem teve a casa destelhada e busca ser incluído no programa “Sua Casa” pode acionar a Cohab por meio do telefone (91) 3214-8521. Os atendimentos ao público estão suspensos durante o lockdown.

Por Ronan Frias (COHAB)