Mais nove jovens atendidos pelo Projeto PM Zito ingressam no mercado de trabalho

Realizada em Salinópolis, a iniciativa da Polícia Militar do Pará beneficia crianças e jovens de 12 a 16 anos

27/01/2021 21h02 - Atualizada em 28/01/2021 00h43

Nove jovens que participam do Projeto PM Zito, no município de Salinópolis, no nordeste paraense, foram contratados neste mês como aprendizes, por empresas vinculadas ao Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee). O projeto social da Polícia Militar do Pará é realizado desde 2015, oferecendo formação complementar a crianças e jovens com base na disciplina militar.

A admissão representa a primeira experiência profissional para os nove adolescentes indicados, que vão desempenhar, ao mesmo tempo, a atividade prática, desenvolvida na empresa parceira, e a parte teórica, com cursos de capacitação ofertados pelo Ciee, dentro da respectiva área profissional.

Entre os critérios estabelecidos para a indicação ao Programa Jovem Aprendiz estão liderança, vibração, assiduidade escolar, disciplina, pontualidade e apresentação pessoal. De acordo com um dos coordenadores do “PM Zito”, sargento Adilson Teixeira, o Ciee contratou 17 jovens do projeto em 2020, e outros dois alunos foram indicados para atuação no Cartório do Único Ofício de Salinópolis, outra entidade parceira. O Projeto é coordenado também pelo sargento Martins, da 1ª Companhia Independente de Polícia Militar (1ª CIPM), onde fica a sede do “PM Zito”.

Preparação - Para a consultora do Centro de Integração Empresa-Escola, Joice Lopes, a parceria com a PM tem sido positiva. “Os jovens do Projeto PM Zito sempre se mostram bem preparados, tanto para a entrevista, quanto para a atividade. Nós agradecemos o apoio dado pela PM, e tenho certeza de que em 2021 vamos fortalecer ainda mais essa parceria”, disse a consultora.

Iniciativa da Polícia Militar no município, o Projeto PM Zito atende crianças e jovens de 12 a 16 anos em Salinópolis. Policiais voluntários ministram aos alunos instruções de educação física, ordem unida, artes marciais, xadrez e outros conhecimentos voltados ao desenvolvimento cultural, socioambiental e educacional dos participantes.

Hoje, a iniciativa atende 70 jovens, e tem cumprido todos os protocolos de segurança para a prevenção da Covid-19, sob a supervisão do major Adriano Rayol, comandante da 1ª CIPM, sediada no município.

Por Taiane Figueiredo (PM)