Sedap orienta agricultores familiares sobre acesso ao crédito fundiário

Estão sendo realizadas oficinas de capacitação, seminários e minicursos na região do Baixo Amazonas

30/09/2020 12h03 - Atualizada em 01/10/2020 21h58
Por Camila Botelho (SEDAP)

Equipes da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) estão no município de Santarém, na região do Baixo Amazonas, realizando oficinas de capacitação, seminários e minicursos para agricultores familiares que desejam ter acesso ao crédito fundiário. “Eles estão recebendo orientações de como acessar o programa, todos os seus critérios e as suas linhas de crédito”, informou a coordenadora da UTE da Sedap, Martha Pina.

A programação iniciou na terça-feira (29), no Hotel Por do Sol, com o seminário direcionado aos agricultores e representações. O trabalho está sendo executado pela equipe da Unidade Técnica Estadual (UTE) da Sedap, que atua diretamente com o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF).Agricultores familiares estão aprendendo como ter acesso a linhas de crédito

Nesta quarta-feira (30), ocorre a oficina de capacitação da Rede de Apoio e Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS). A programação é direcionada aos membros do conselho. Na quinta-feira (1º de outubro), técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-PA) e das prestadoras privadas participam de capacitação.  

A programação ocorre nas regiões de integração do Baixo Amazonas e do Araguaia. Em Santarém, o evento se estende até a próxima sexta-feira (02.10). Depois, a equipe seguirá para Redenção, onde a programação inicia no dia 5 de outubro e vai até o dia 8. 

No total, no Baixo Amazonas, 90 inscrições foram registradas para todas as programações. Além de Santarém, participam produtores rurais de Mojuí dos Campos, Belterra e das regiões mais próximas. Martha Pina informou que a organização da programação adotou todas as providências necessárias para garantir a segurança dos participantes contra o novo coronavírus. 

Entre os agricultores familiares que participam está Joicyene Nogueira Henrique. Ela disse que a ação irá fortalecer muito a agricultura familiar. “A aquisição do crédito fundiário sempre foi uma luta dos movimentos sociais vinculados aos sindicatos, que vêm buscando crédito fundiário para os trabalhadores rurais. É o progresso que está chegando”, destacou a agricultora. 

O trabalho é executado pela equipe da Unidade Técnica Estadual da SedapCritérios - A coordenadora da UTE explicou que existem três linhas de crédito que podem ser requisitadas pelos agricultores, dependendo do perfil que eles se encaixarem: o 'PNCF Social', o 'Mais' e o 'Empreendedor'. “O produtor tem que avaliar em qual dessas linhas ele se encaixa, dependendo da sua renda anual e patrimônio”, esclareceu. 

No 'PNCF Social', cuja área de abrangência é a região Norte e a área da Sudene (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste), o interessado precisa ter uma renda anual de ate R$ 21.640,33 e um patrimônio de R$ 40 mil. Segundo informa Martha Pina, os juros são de 0,5% ao ano com bônus de 40%. O agricultor tem 25 anos para pagar, com três de carência.