Campanha Doadores Futebol Clube já rendeu mais de 230 bolsas de sangue

Torcedor pode contribuir e pontuar para o time do coração, basta ir à unidade de coleta mais proxima e informar que está na campanha doando pelo Paysandu ou Remo

25/08/2020 13h27 - Atualizada em 25/08/2020 14h09

Azulinos e bicolores marcam presença no Hemopa para a doação de sangue e já contribuíram com 239 novas bolsasEnquanto as torcidas de Remo e Paysandu esperavam a retomada do futebol paraense, aproveitavam para fazer a diferença em outro campo: o da solidariedade. Bicolores e azulinos marcaram presença no Hemopa para fazer a doação de sangue e já contribuíram com 239 novas bolsas para o estoque, em 2020, que devem beneficiar mais de 950 pessoas.

Esta ação faz parte do projeto ‘Doadores Futebol Clube (FC)’, uma parceria entre a Fundação Hemopa, Cultura Rede de Comunicação e os clubes de Remo e Paysandu, cujo objetivo é apresentar para as duas grandes torcidas do Pará, a possibilidade de torcer pela vida e contribuir com a sociedade. 

Os atletas e técnicos também são essenciais neste processo. Pelas redes sociais, gravam vídeos direcionados aos torcedores. O treinador e o atacante do Paysandu, Hélio dos Anjos e Nicolas Godinho Johan, respectivamente, estiveram bastante envolvidos com a campanha de motivação para a doação de sangue.

Pelo Leão Azul, o treinador Mazola Jr. e o meio-campista Carlos Alberto também fizeram bonito na militância em favor da doação de sangue para salvar vidas. Em 2019, Carlos Alberto foi diagnosticado com insuficiência medular aguda, e precisou ficar seis meses afastado dos gramados para tratar da doença.

Ele ficou internado e recebeu com urgência transfusões de sangue e plaquetas. Muitos jogadores e torcedores compareceram ao Hemopa para doar sangue para Carlos Alberto. E Graças às doações, o jogador conseguiu evoluir com o tratamento e voltar aos campos, em 2020.

A contribuição dos torcedores do Paysandu e do Remo é festejada pela presidência da Fundação Hemopa Sensibilizado pela adesão dos torcedores do Remo e Paysandu, o presidente da Fundação Hemopa, Paulo Bezerra, agradece e parabeniza cada voluntário da Campanha Doador FC. “A rivalidade é somente nos 90 minutos, fora dos campos, as torcidas são solidárias e salvam vidas. Obrigado!”.

Uma bolsa de sangue pode fazer a diferença na vida de até 4 pacientes. E este ato de generosidade ao próximo dura, em média, cerca de  40 minutos, desde o cadastro na recepção do doador, passando pela triagem até a coleta de sangue. 

Para ser um doador, o voluntário deve ter entre 16 e 69 anos (menores de idade devem estar acompanhados do responsável legal), ter mais de 50 kg, estar em boa condições de saúde e apresentar um documento de identificação oficial, original e com foto (RG, CNH, Passaporte ou Carteira de Trabalho).

Quem teve Covid-19 deve esperar 30 dias após a cura para doar. E quem teve contato com pessoas que tiveram Covid-19, deve esperar 14 dias após o contato.

Para pontuar para o seu time do coração, basta chegar na unidade de coleta e dizer que está na campanha ‘Doadores FC’, doando pelo Remo ou pelo Paysandu. 

Em Belém, as doações podem ser feitas na sede, na Batista Campos ou nos Shoppings Pátio Belém e Castanheira. Clique aqui e veja os horários de funcionamento de cada unidade.

Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)