Pré-Natal do Parceiro está disponível na rede de saúde pública

O serviço busca envolver o homem em todo o processo de planejamento reprodutivo, para que divida responsabilidades nos cuidados com o filho

15/07/2020 18h51 - Atualizada em 15/07/2020 20h27
Por Roberta Vilanova (SESPA)

No Dia Nacional do Homem, comemorado nesta quarta-feira (15 de Julho), a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informa à população masculina que no Sistema Único de Saúde (SUS) é oferecido o Pré-Natal do Parceiro, atendimento inserido no eixo Paternidade e Cuidado da Política Nacional de Atenção integral à Saúde do Homem (PNAISH).

O Pré-Natal do Parceiro envolve o homem em todo o processo de planejamento reprodutivo, gestação, parto, puerpério e desenvolvimento da criança, integrando-o nos cuidados com a saúde, para que divida com a mãe a responsabilidade pelos cuidados com o filho. Dessa forma, o pai passa a ter também um acesso melhor para cuidar da própria saúde.Pré-Natal do Parceiro mostra aos homens a necessidade dos cuidados com a saúde

Portanto, essa estratégia pode ser considerada uma importante porta de entrada do SUS para a população masculina, pois ao acompanharem a mulher na consulta do pré-natal, os homens serão abordados por profissionais de saúde, passando a ter acesso às consultas de pré-natal, exames de rotina, testes rápidos, aferição de pressão arterial e verificação das medidas antropométricas, atualização do cartão de vacina e participação nas atividades educativas, além do incentivo a participar do parto e dos cuidados com a criança.

Para ter acesso ao programa, basta o homem ir junto com parceira para iniciar o pré-natal. Mas para que isso ocorra da melhor forma possível é fundamental que os profissionais estejam capacitados para fazer essa abordagem, já que a população masculina costuma ser resistente ao autocuidado.

Videoconferência – Com base nessas diretrizes do Programa, a Coordenação de Saúde do Homem realizou nesta quarta-feira, às 10 h, a videoconferência “Pré-Natal do Parceiro”. Organizado pela Coordenação Estadual de Saúde do Homem, o evento teve como convidado o técnico da Coordenação de Saúde do Homem do Ministério da Saúde, Francisco Norberto Moreira da Silva, e contou com a participação de profissionais que trabalham a Política de Saúde do Homem nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), coordenadores de Saúde da Mulher e do Homem de diversos municípios e dos Centros Regionais de Saúde da Sespa, num total de 75 pessoas.Diego Cutrim,coordenador estadual de Saúde do Homem, destacou a importância da paternidade responsável

Segundo o coordenador estadual de Saúde do Homem, Diego Cutrim, o objetivo foi abordar o pré-natal do parceiro e a importância da paternidade responsável, dispositivos que estão inseridos na Política Nacional de Atenção integral à Saúde do Homem. “Eles trazem diversos benefícios para a família, como o compartilhamento de responsabilidades no cuidado do recém-nascido, redução de episódios de violência doméstica, diminuição de casos de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), incluindo a sífilis congênita, e a busca ativa do homem para inseri-lo nos serviços de saúde do SUS, diminuindo o índice de comorbidades e mortalidade do público masculino”, explicou.

A Coordenação Estadual de Saúde do Homem também capacita profissionais de saúde em oficinas, realizadas nos 13 Centros Regionais de Saúde, fomentando e promovendo a PNAISH, que ainda registra baixa adesão no Pará. “Estamos trabalhando para reverter esse cenário e superar obstáculos, tais como falta de financiamento por parte do Ministério da Saúde, pouco engajamento dos gestores municipais, receio dos homens de descobrirem doenças e assumirem algum tipo de fragilidade, e outros preconceitos culturais do gênero masculino”, ressaltou o coordenador estadual.