Pará registra maior queda no número de mortes por Covid-19 do Brasil

O resultado, veiculado em rede nacional, mostra a eficácia das estratégias adotadas pelo Estado no combate à doença, como a Policlínica Itinerante

09/07/2020 22h51 - Atualizada em 10/07/2020 01h47
Por Laís Menezes (SESPA)

A estrutura de saúde também foi montada na Estação das Docas, um dos principais pontos turísticos de BelémO Estado do Pará computou a maior redução no número de mortes por Covid-19 no Brasil. Os dados, divulgados pelo consórcio de veículos de imprensa que realiza levantamentos sobre a doença, foram apresentados no Jornal Nacional desta quinta-feira (9). Com redução de 45% no número de óbitos pela doença, o Pará é o melhor colocado entre os cinco estados que apresentaram queda. Outros 11 estados mostraram estabilidade, quando a variação entre a média de mortes de hoje e a média registrada há 14 dias é de até 15%, para mais ou para menos. Oito unidades da Federação tiveram aumento no número de mortes, entre as quais o Distrito Federal.Atendimento da Policlínica Itinerante em Salvaterra, no Marajó

A redução registrada pelo Pará resulta de várias medidas adotadas pelo Governo do Estado para conter a proliferação do novo coronavírus. Uma delas foi a Policlínica Itinerante, que iniciou as atividades no dia 14 de maio e já levou atendimento médico e remédios a mais de 60 municípios do interior paraense, beneficiando mais de 50 mil pessoas.

Profissional da Policlínica examina paciente em Capitão Poço, no nordeste do ParáMudança de perfil - A Policlínica Metropolitana, em Belém, realizou mais de 44 mil atendimentos entre os dias 21 de abril e 30 de junho. A mudança temporária no perfil dessa unidade foi importante para atender a demanda que não era suprida pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e pelos prontos-socorros da capital. A estratégia de tratar os casos leves e moderados no início do contágio foi elogiada pelo Ministério da Saúde. O mesmo protocolo foi adotado na Policlínica itinerante.

Também houve mudança de perfil no Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), que passou a atender com “portas abertas” exclusivamente casos de Covid-19, ajudando a aliviar a demanda reprimida do município. Na unidade, 38 mil atendimentos foram feitos no “Abelardo Santos” do dia 30 de abril até o início desta semana.Entrega de medicamentos para pessoas atendidas no Hospital Abelardo Santos