Força de Combate ao Desmatamento Ilegal apreende equipamentos, destrói acampamentos e impede queimadas

Operação visa coibir crimes ambientais nos dez municípios que detém os maiores índices de desmatamento no Pará

18/06/2020 09h13 - Atualizada em 18/06/2020 12h10
Por Ronan Frias (COHAB)


Três acampamentos foram desmontados pela Força Estadual de Combate ao Desmatamento
A Força Estadual de Combate ao Desmatamento Ilegal no Pará evitou que uma clareira do tamanho de 4 mil campos de futebol fosse queimada dentro da Área de Proteção Ambiental Triunfo do Xingu (APA TX), na zona rural dos municípios de São Félix do Xingu e Altamira. As equipes percorreram, nesta quarta-feira (17), cerca de 300 km dentro da APA até chegarem ao acampamento que seria usado como suporte para a queimada da vegetação. 

“A ação faz parte da Operação Amazônia Viva que foi deflagrada neste mês. O objetivo é coibir crimes ambientais, como desmatamento e queimadas, nos dez municípios que detém os maiores índices de desmatamento no Pará. Por isso, nós distribuímos as equipes de forma simultânea em quatro pontos estratégicos  que interligam as localidades que estamos protegendo”, explicou o diretor de fiscalização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Rayrton Carneiro.

As equipes da Força Estadual de Combate ao Desmatamento também encontraram e desmontaram três acampamentos, que foram instalados em uma área de difícil acesso dentro da floresta no município de Novo Progresso, na região do Xingu. As estruturas improvisadas eram utilizadas no apoio das ações dos desmatadores que atuam na região. Ninguém foi encontrado no local, mas os espaços foram destruídos. 

A ação faz parte da Operação Amazônia Viva que foi deflagrada neste mês

Próximo à cidade de Itaituba, na região do Tapajós, os fiscais encontraram e apreenderam 41m³ de madeira em tora e 25m³ de madeira serrada sem autorização. A carga estava armazenada em uma serraria. O proprietário do local foi intimado a comparecer na delegacia e responderá pelo crime previsto no Art. 46, par. Único da Lei n. 9.605/98.

“No local, o proprietário alegou que não sabia quem teria colocado a madeira na propriedade dele, apesar da carga ser da mesma espécie que tinha sido beneficiado recentemente”, informou o fiscal da Semas, Everton Dias.

Já na rodovia Transamazônica, no trecho entre Placas e Rurópolis, a Força Estadual percorreu ramais até encontrar pontos de desmatamento ilegal previamente identificados por monitoramento via satélite. Durante o trajeto, a equipe encontrou uma área de grande extensão que foi desmatada para pasto.

Os fiscais encontraram e apreenderam 41m³ de madeira em tora e 25m³ de madeira serrada sem autorização

“Nós abordamos um condutor que informou que estava trabalhando em uma área confirmada com desmatamento ilegal. Apreendemos uma motosserra, porque a utilização do equipamento em área de floresta sem a respectiva Licença Ambiental é considerada infração. Uma arma de fogo também foi encontrada e apreendida”, informou David Luz, fiscal da Semas.

As 10 localidades do Estado que estão sendo fiscalizadas são: Uruará, Medicilândia, Brasil Novo, Placas, Itaituba, Trairão, Novo Progresso, Castelo dos Sonhos, São Félix do Xingu e Altamira. 

Força Estadual - Instituída pelo Governo do Pará por meio do decreto publicado no dia 18 de fevereiro de 2020, a instituição é coordenada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, com a participação da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” e Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio).