Emater retoma crédito rural para assentamentos de Senador José Porfírio

Previsão é que 30 famílias recebam R$ 25 mil cada do Pronaf, para expandir e melhorar lavouras de cacau

28/04/2020 10h46 - Atualizada em 28/04/2020 12h37
Por Aline Miranda (EMATER)

Depois de mais de uma década, famílias assentadas da reforma agrária de Senador José Porfírio, na Transamazônica, voltarão a receber crédito rural. A reconquista está sendo possível por meio de uma parceria entre o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e organizações sociais de agricultores. 

Liberação dos recursos depende de levantamento de campo, com reuniões físicas, etapa que foi interrompida por causa da pandemiaA previsão é de que, passada a quarentena necessária por conta da pandemia provocada pelo novo coronavírus, pelo menos 30 famílias de três comunidades da vicinal Transunião, no assentamento Ressaca, no Pólo 2 do município (Acesso 6, Planalto e Novo Transunião), recebam R$ 25 mil cada, da linha A do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), pelo Banco do Brasil (BB), para expandir e melhorar lavouras de cacau.

“Já selecionamos as famílias, mobilizamos, porém ainda é preciso um levantamento de campo, com reuniões físicas, uma etapa que foi interrompida por causa da pandemia. Assim que as coisas normalizarem, de imediato, voltaremos à prática e esse crédito será liberado” - chefe do escritório local da Emater, o técnico em agropecuária Arino Tabosa.

De acordo com a Emater, a experiência no assentamento Ressaca é de caráter piloto, visto que a demanda imediata no município para o perfil é muito maior: “Este é só um primeiro passo. Organizaremos o carecimento conforme nossa capacidade de atendimento e com certeza supriremos essa necessidade em Senador, porque é uma política pública essencial, de desenvolvimento sustentável”, afirmou.