Vacinação contra gripe para idosos e trabalhadores de saúde prossegue até 15 de abril

As Unidades Básicas e os postos descentralizados continuam a imunizar esses grupos prioritários, sem necessidade de aglomeração

23/03/2020 19h21 - Atualizada em 24/03/2020 01h53
Por Roberta Vilanova (SESPA)

Vacinação contra gripe em posto descentralizado no centro de BelémA Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza (vírus causador da gripe) começou nesta segunda-feira (23) com os primeiros grupos prioritários - pessoas a partir de 60 anos e trabalhadores da área de saúde. A meta é vacinar 90% de cada grupo prioritário – o equivalente a 550 mil idosos e 139 mil trabalhadores. A imunização desses grupos prossegue até o dia 15 de abril nas Unidades Básicas de Saúde, sendo que os idosos ainda contam com postos descentralizados, como farmácias, estacionamentos de shoppings centers e supermercados.

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em alguns pontos instalados em Belém ocorreram aglomeração porque a maioria das pessoas pensava que a vacinação em farmácias, shoppings e supermercados seria apenas hoje. A direção da Sespa tranquiliza a população, garantindo que esses postos vão continuar funcionando até o próximo dia 15 de abril, pois há vacina para todos.Muitos idosos nem precisaram sair dos veículos para receber a vacina

Antecipação - A Campanha de Vacinação contra Influenza foi antecipada em todo o Brasil por conta da pandemia de Covid-19, com o objetivo de reduzir o adoecimento, as complicações e a mortalidade decorrentes das infecções pelos vírus Influenza A/H1N1, Influenza A/H3N2 e Influenza B, especialmente nesse momento de circulação do novo Coronavírus. Dessa forma, evitam-se aglomerações nos postos de saúde por pessoas gripadas e o risco de maior propagação da Covid-19.

O diretor de Vigilância em Saúde da Sespa, Amiraldo Pinheiro, informou que a vacina contra Influenza protege contra diversos vírus gripais, que são selecionados a partir de coleta de material de todo o mundo. Portanto, a vacina é atualizada anualmente. “Ela é importante porque evita que as pessoas adoeçam por um vírus gripal ou minimiza os sintomas. Uma gripe que poderia se tornar uma síndrome respiratória aguda grave não se torna grave, e os sintomas são minimizados. A vacina é muito válida para os idosos, para as crianças e as pessoas com comorbidades (quando há risco de uma pessoa já doente adquirir outras enfermidades)”, explicou o diretor da Sespa.Na fila, muitos guardaram a distância necessária para evitar contágio

Amiraldo Pinheiro explicou, ainda, que no momento em que o mundo enfrenta uma pandemia por um vírus novo (mutação do Coronavírus), contra o qual ainda não há vacina disponível, a população deve se proteger contra os outros vírus. “Imagina você estar doente por um vírus gripal mesmo já conhecido, como o H1N, e, ao mesmo tempo, ainda contrair o Coronavírus. Vai ser um problema duplicado. Então, a vacina é muito importante para evitar a coinfecção, que é a infecção por dois agentes patogênicos ao mesmo tempo. Você se protege contra diversos vírus e, ao mesmo tempo, deixa o organismo mais fortalecido para enfrentar o Coronavírus”, ressaltou.

Demais fases - A segunda fase da Campanha de Vacinação ocorrerá de 16 de abril a 8 de maio, destinada à imunização de professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (diabetes, hipertensão e outras). A meta é vacinar 400 mil pessoas nesta fase.A vacinação para idosos e profissionais de saúde continua nos postos e Unidades Básicas

Por fim, a terceira etapa, de 09 a 22 de maio, abrangerá as crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (com até 45 dias após o parto), indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos cumprindo medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema penal e adultos de 55 a 59 anos de idade. Público estimado em 1,2 milhão de pessoas.O Ministério da Saúde enviou 2,3 milhões de doses de vacina trivalente ao Pará

Para a realização da Campanha, o Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, disponibilizou 2,3 milhões de doses de vacina trivalente ao Pará, que estão sendo entregues em três remessas. No momento, todos os 144 municípios paraenses estão abastecidos.