Incentivo ao Turismo gera emprego e renda para os paraenses

Produção do artesanato local e da rede envolvida no turismo aumentou, em média, 40% nos últimos dois meses

05/03/2020 14h44 - Atualizada em 05/03/2020 16h34
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Artesão há 40 anos, Deo Almeida afirma que o sustento de sua família vem da atividade cerâmica. Por isso, comemora a oportunidade de mostrar o seu trabalho para quem vem de fora. “Nós não tínhamos a oportunidade de oferecer nosso trabalho aos visitantes que chegavam nos transatlânticos. Mas essa estrutura montada pela Secretaria de Turismo foi fundamental para incentivar a atividade cerâmica, onde a nossa cultura e o nosso trabalho são valorizados”, afirma. Veja a galeria de fotos.

Nesta quinta-feira (5), mais um navio transatlântico desembarcou na Orla de Icoaraci, distrito de Belém, trazendo oportunidade de ganhos não só para os artesãos, mas para outras categorias. O navio Viking Sea trouxe cerca de 900 turistas e 460 tripulantes para conhecer os principais pontos turísticos e atrativos da capital paraense. Ao todo, 35 ônibus levaram os visitantes para os passeios, que incluem o Ver-o-Peso, Theatro da Paz, Forte do Castelo, Museu de Arte Sacra, Museu Emílio Goeldi, Projeto Ver-o-Rio e Boa Vista do Acará.

A chegada do transatlântico movimenta a economia da capital. O assessor de marketing da Setur, Rogério Mendes, afirma que uma das prioridades da atual gestão estadual é gerar emprego e renda aos paraenses.

“Hoje podemos dizer que o nosso mercado está aquecido. O turismo é essencial nesse processo, toda a cadeia produtiva ganha, desde o pequeno produtor ao grande empresário”, garante Rogério, que ressalta ainda: “nos últimos dois meses, a produção do artesanato local e da rede envolvida no turismo aumentou, em média, 40%”.  

A artesã Naiana Nóvoa celebrou a oportunidade de mostrar os seus produtos para os turistas estrangeiros. “Esse movimento de economia criativa aqui em Icoaraci está sendo incrível financeiramente. A movimentação aumenta a nossa produção. No início a gente se atrapalhou, mas com a ajuda dos tradutores conseguimos nos comunicar e dá tudo certo, cobramos em dólar, em real, fazemos a conversão, tudo para facilitar a venda”, garante.

O trabalho de receptivo dos turistas é organizado pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur), em parceria com o Sebrae, Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), Fundação Cultural de Belém (Fumbel) e Polícia Militar. A recepção contou ainda com a apresentação do grupo Arraial do Pavulagem animando os turistas. A americana Kim Kerr adorou a recepção.

“É a minha primeira vez em Belém, mas eu já tinha vindo na Amazônia antes. Fiquei surpresa com a bela recepção. As músicas e as pessoas estão animadas mostrando a sua cultura. Estou contagiada com a felicidade que encontrei aqui”, afirma a americana Kim Kerr.

A segurança foi organizada para receber os turistas, de acordo com o comandante da Companhia Independente de Polícia Turística – CIPTUR, Major Castro Alves. “Cerca de 140 policiais fazem parte desse trabalho. Posicionamos viaturas e agentes em locais estratégicos por onde os turistas irão circular para evitar qualquer tipo de incidente", assegura.

Vários grupos de turistas escolheram o Ver-o-Peso como a primeira parada. O feirante Benedito Castro, que trabalha há mais de 15 anos no mercado, ficou feliz com a visita. “Desde o ano passado a movimentação dos turistas melhorou. Eles provam os nossos produtos, gostam e compram, o que aumenta as nossas vendas”, garante.

O cruzeiro, que saiu de San Juan - Porto Rico, no dia 20 de fevereiro, passou por cidades como Bridgetown - Barbados, Iles du Salut - Guiana Francesa, Santarém, Parintins, Manaus até chegar em Belém. Ele segue para Trinidad e Tobago e finaliza o percurso no dia 12 de março. Registra-se que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é responsável pela implementação do programa nacional de vigilância em saúde para navios de cruzeiro, a fim de reforçar o padrão de cumprimento das exigências sanitárias nesses navios. Não houve nenhuma ocorrência de casos suspeitos da epidemia do novo coronavírus.

Só neste ano, cinco transatlânticos já atracaram na Orla de Icoaraci. A expectativa é de que até o mês de maio, mais cinco navios tragam turistas para conhecerem a cidade. Ao todo, na temporada de 2019 até maio de 2020, 12 embarcações aportarão em Icoaraci e 24 em Santarém. No próximo dia 14, receberemos mais um transatlântico, o Amera Phoenix. A expectativa é que a cidade receba mais 1,2 mil turistas. Ao todo, cerca de 3,5 mil turistas de cruzeiros internacionais passarão por Belém neste mês de março, o que significa, segundo Rogério Mendes, a possibilidade de gerar entre R$ 2 a 3 milhões  para o Estado.