Programas incentivam futuros profissionais a seguir a carreira docente

16/09/2019 11h52 - Atualizada em 16/09/2019 12h52
Por Daniel Leite Júnior (UEPA)

Ex-alunas da Uepa foram aprovadas no concurso público da Prefeitura de Ananindeua para vaga de professorEstudantes engajados na graduação, que se dedicam à monitoria ou iniciação científica, possuem um perfil profissional diferenciado. Por meio desses programas ofertados na Universidade do Estado do Pará (Uepa), os discentes podem desenvolver competência pedagógica e profissional para se destacarem no mercado de trabalho.

Um exemplo disso são os egressos aprovados no concurso público da Prefeitura Municipal de Ananindeua, cujo resultado foi publicado no último semestre. Os ex-discentes da Uepa são formados nos cursos de Licenciatura em Pedagogia, Física, Geografia e História, e foram admitidos no certame para vagas de professores na Educação Infantil, no Ensino Fundamental e Médio.

Formada em 2018, no curso de Licenciatura em Pedagogia, Ellen Rayane de Sousa Ramos é uma das aprovadas para a vaga de professora do Ensino Fundamental. A admissão ocorreu no primeiro ano após ter concluído o curso superior, quando atuou na monitoria e extensão acadêmica no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) da Uepa. “Depois de ter sido bolsista do Pibid (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) e, também, monitora dentro da instituição, digo sempre que a monitoria nas disciplinas pedagógicas são um diferencial para a composição curricular como profissional”, comentou a egressa da universidade.

Já Williene de Souza Nobre conseguiu duas vitórias em 2019: se formar em Licenciatura em Pedagogia e passar no concurso. Ela, agora, também é professora do Ensino Fundamental do município de Ananindeua. Após anos de estudo, ela relembra a trajetória acadêmica vinculada a atuações na monitoria e no trabalho voluntário com a Residência Pedagógica.

“Isso me fez, com certeza, uma profissional melhor, pois o estímulo que o trabalho como monitora me deu abriu diversas oportunidades, por meio da conciliação do trabalho na monitoria com outros voluntários, um deles foi na Residência Pedagógica. Tudo isso convergiu e me rendeu um leque de conhecimentos e de vivências que me transformaram na profissional que sou hoje”, afirmou a ex-discente da instituição.

"A monitoria é o exercício da docência e a iniciação científica é o momento de aprendizado da prática de pesquisa, portanto, nós, como professores da Uepa, precisamos incentivar os discentes a transitarem por esses programas institucionais tão importantes para a formação profissional e acadêmica", explicou a coordenadora da Licenciatura em Pedagogia, professora Ceila Moraes, sobre os egressos aprovados no concurso público da Prefeitura de Ananindeua e o comprometimento durante a trajetória acadêmica.

Incentivo e acompanhamento – O tripé ensino, pesquisa e extensão desenvolvido pela Uepa permite que a formação acadêmica possa ser aperfeiçoada, por meio da convergência entre teoria e prática. A vivência de metodologias laboratoriais é a base para formar profissionais com habilidades interdisciplinares e com engajamento crítico, por meio das práticas de extensão ou monitoria.

“O programa de monitoria da Uepa destina-se a ampliar espaços de aprendizagem e a estimular o interesse pelo magistério superior, aprimorando a qualidade do ensino. Dessa forma, nossos alunos da graduação têm contato direto com o dia a dia do professor ao acompanhá-lo nas disciplinas em todas as etapas como: planejamento, leitura dos textos, execução das aulas, correção das provas, atividades, lançamento das notas e outros”, comentou a titular da Coordenação de Apoio e Orientação Pedagógica (Caop) do CCSE, Damásia Nascimento.

As instituições do saber científico são espaços de formação dos profissionais que irão compor social, econômica e politicamente a sociedade. Daí a importância de acompanhar o aluno, não apenas durante a graduação, mas após esta etapa, em diferentes âmbitos profissionais, como explica a assessora pedagógica da Coad do Centro de Educação da Uepa, Deborah Ferreira.

“Avaliar o percurso dos que ingressam na Uepa é muito importante para a jornada dos discentes dentro da instituição e, também, para que possamos ter menos evasão das graduações e mais conclusões de curso, além de auxiliar esse aluno a encontrar qual a melhor possibilidade de atuação a partir da sua formação”, acredita.