Polícia Civil prende suspeitos da morte de sindicalista no sul do Pará

16/06/2019 14h40 - Atualizada em 16/06/2019 19h48
Por Walrimar Santos (PC)

Com os presos, foram encontrados armas e munição ilegaisPoliciais civis prenderam, neste domingo (16), três homens durante a operação "Justiça no Campo", realizada nos municípios de São Félix do Xingu e Tucumã, no sul do Pará. Dois deles – Antônio Silvério dos Reis e Orcimar Arantes do Prado – tinham mandados de prisão temporária decretados e são apontados como suspeitos de serem os mandantes da morte de Carlos Cabral Pereira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rio Maria.

Orcimar Arantes do Prado é um dos suspeitos acusados pela morte do sindicalista Carlos Cabral PereiraO outro preso é Paulo Makairo Frutuoso de Lima, detido em flagrante por posse ilegal de arma de uso restrito durante a operação. Orcimar e Paulo foram presos em Tucumã e Antônio em São Félix do Xingu. Com a dupla, foram apreendidas armas e munição ilegais. Os suspeitos são fazendeiros que atuam em grilagem de terras na região.

A operação foi realizada por policiais civis para cumprir mandados de prisão temporária, e de busca e apreensão resultantes do inquérito da morte do sindicalista. Atuaram na operação equipes da Diretoria de Polícia do Interior (DPI), Delegacia de Conflitos Agrários de Redenção (Deca), Núcleo de Inteligência Policial (NIP), Delegacia de Rio Maria, Superintendência do Alto Xingu (São Félix do Xingu) e Superintendência do Araguaia Paraense, sediada em Redenção.

As prisões temporárias decretadas têm prazo legal de 30 dias. No total, sete mandados de busca e apreensão domiciliar foram expedidos pela Justiça da região. As investigações apontaram que a morte do líder sindical está ligada às disputas de terras na zona rural de São Félix do Xingu. As investigações continuam para identificar outros envolvidos no crime ocorrido no último dia 11, em Rio Maria.

Antônio Silvério dos Reis também é acusado pelo assassinato do líder sindical. Ele foi preso em São Félix do Xingu