Literatura infantojuvenil é tema da 2ª Festa Literária Internacional do Xingu

11/06/2019 12h02 - Atualizada em 11/06/2019 12h03
Por Úrsula Pereira (SECULT)

Entre os dias 12 e 15 de junho, a cidade de Altamira sediará a II Festa Literária Internacional do Xingu - FLIX: Outras Margens, que desde a primeira edição conta com apoio financeiro de Projetos do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável do Xingu (PDRSX), da Associação de Prefeitos do Consórcio Belo Monte (ACBM), da Norte Energia e com a parceria da Prefeitura Municipal de Altamira e de outras instituições públicas e privadas da região do Xingu.

Em sua segunda edição, a FLIX ganha força com a efetiva participação do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult) e passa a integrar o calendário oficial de eventos culturais do Estado, como parte da programação da 23ª Feira do Livro e das Multivozes e apoio da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Fundação Amazônia de Amparo a Estudo e Pesquisa (FAPESPA).

Este aporte institucional aproxima a FLIX ainda mais do objetivo de ser reconhecida nacional e internacionalmente como um dos eventos literários mais importantes da região Norte do País, já que o evento se configura como uma ampla festa literária, artística e cultural, tendo como idealizadora a Universidade Federal do Pará - Campus Altamira.

A II FLIX vem com tema "A literatura infantojuvenil, as narrativas místicas e fantásticas: outras margens" e homenageia o escritor paraense Walcyr Monteiro, falecido este ano aos 79 anos. Autor de obras como "Visagens e Assombrações" - que conta histórias de lendas paraenses e já rendeu adaptações audiovisuais, como o longa-metragem Lendas Amazônicas (1998) e o curta-metragem Visagem (2006) - Walcy também era jornalista, sociólogo, ufólogo e acadêmico das letras.

Este universo temático e seus incríveis personagens povoam não só os livros, mas, também o imaginário popular amazônico ao longo de gerações e serão o fio condutor das atividades artísticas e acadêmicas da FLIX que oferece uma programação com oficinas, seminários, mesas de debate, conferências, espetáculos artísticos, lançamentos de livro, exposições, feiras (artesanatos, biodiversidade, agricultura familiar), trocas de experiências de aspectos diversos da cultura nacional, particularmente em seu caráter de resistência e ousadia. A programação, que é gratuita, acontecerá no Centro de Eventos, na Casa de Memória e no Campus Universitário de Altamira/ UFPA.

A FLIX terá a participação de indígenas do território da Transxingu, da comunidade acadêmica, da sociedade civil, das instituições de ensino públicas e privadas, dos órgãos governamentais e não governamentais, com destaque para nomes memoráveis da literatura regional, nacional e internacional, tendo como foco o público leitor infantojuvenil.

Histórico - A FLIX surgiu como resultado de uma atividade do projeto 114/2012 do PDRSX, coordenado pela professora Maria Ivonete Coutinho da Silva, cuja temática tratava da literatura amazônica e o fortalecimento do ensino dessa literatura na região do Xingu. A partir de discussões e debates com outros grupos esta temática se redimensionou para um evento maior, culminando na proposta de realização da FLIX.

O evento tomou dimensão significativa na vida literária, artística e cultural de Altamira e região, assim como no contexto acadêmico de profissionais, professores, alunos e na ampla discussão acerca de assuntos ligados às questões ambientais, étnico-raciais, sociais e turísticas da região.