Ocorrências de poluição sonora registradas no Ciop diminuem em relação a 2018

Barulho continua como ocorrência persistente na Central do Ciop 190

10/06/2019 12h20 - Atualizada em 10/06/2019 13h54
Por Edenice Pereira (CIOP)

Um balanço divulgado pelo Centro Integrado de Operações (Ciop), nesta segunda-feira (10), aponta redução no número de ocorrências de poluição sonora registrados no período de janeiro a maio de 2019 na região metropolitana de Belém. Ao todo, foram 22.027 chamados, via central 190, contra 28 mil no mesmo período de 2018, redução de 23,5%.

Sala de monitoramento e recebimento de chamadas no CIOPAo analisar as subcategorias das ocorrências de poluição sonora, foi possível notar que a maioria são reclamações de barulhos provenientes de som alto em residências. Conforme a tabela a seguir:

Local da ocorrência e quantidade de registros por tipo 

1º Residências (8.361)
2º Veículos (4.508)
3º Vias públicas (4.017)
4º Estabelecimentos comerciais (3.667)
5º Casas de shows/Eventos (832) 
6º Outros (642).

Mesmo com a redução de ocorrências, a poluição sonora ainda é a maior causa de reclamações por parte da população ao CIOP. De janeiro a maio deste ano, o total de chamadas geradas no Centro Integrado de Operações (190) foi de 72.678 ocorrências, sendo que 30% delas são de poluição sonora. .

Ocorrências de Poluição Sonora/Perturbação do Sossego Alheio na RMB via Ciop 190

Mês                 2018                2019         Diminuição em %
Janeiro            7.393                5.343            28%
Fevereiro         6.372               3.529            44%
Março              5.672               4.066            28%
Abril                 5.038               4.431           12%
Maio                5.037               4.658            7,5%

TOTAL            29.512             22.027          23,52%

Em 2018, o Ciop gerou 64.573 (31%) chamados de poluição sonora no ano
todo, ficando no topo das ocorrências do 190. O ranking dos bairros com maior índice de
poluição sonora na RMB, em 2018, ficou assim:

1º Guamá: 3.385,
2º Pedreira: 2.965,
3º Jurunas: 2.801,
4º Marco: 2.201,
5º Marambaia: 2.128,
6º Sacramenta: 2.085,
7º Terra Firme:1.875,
8º Tapanã: 1.745,
9º Telegrafo: 1.637  
10º Condor: 1.599.

Veja os índices de poluição sonora nos últimos três anos.

Tipo/Ano                  2016         2017              2018
Poluição Sonora     54.362      75.256           64.573

CIOP NO COMBATE AO BARULHO

Segundo o diretor do Ciop, coronel PM Luiz Carlos Rayol de Oliveira, os números expressam uma realidade social que precisa ser combatida. "Percebemos que a poluição sonora já é uma questão cultural, por isso vimos a necessidade de atuar com parcerias que reúnam diretamente o Estado e a sociedade", afirma o diretor.

Ainda, de acordo com o coronel, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) criou um Grupo de Trabalho Integrado (GTI), pela portaria Nº 01/2019 Cigesp, a fim de gerar medidas e ações para combater a poluição sonora e diminuir esse tipo de ocorrências no 190. "O Ciop está coordenando o GTI, que é formado por representantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Detran, Semob e Guarda Municipal. Fechando uma parceria do Governo do Estado com o governo municipal", frisa o gestor.

Outra ação - O Ciop, juntamente com representantes da Delegacia de Meio Ambiente (Dema), realizam mensalmente um ciclo de palestras sobre os efeitos negativos da poluição sonora para a sociedade. As palestras fazem parte da pena aplicada às pessoas que cometeram ou respondem pelo crime de poluição sonora e perturbação do sossego alheio.
"Além da parceria de ministrar palestras, estamos organizando um cadastro de estabelecimentos comerciais, bares e casas de shows que são intimados com maior frequência, no intuito de ajudarmos na conscientização dos agentes envolvidos, para então
proporcionar mais tranqüilidade para a população", ressalta o coronel. Em relação ao inquérito policial de pessoas que cometem crime de poluição sonora, a competência é da Polícia Civil.

Projeto Amigo do Ciop - Uma iniciativa do Centro Integrado de Operações, organizado por uma comissão de trabalho na gestão de 2019, o projeto tem como objetivo, promover uma aproximação da população junto ao Centro e seus Núcleos, conscientizando e fidelizando pessoas para a missão do Centro, para ajudar a combater situações que dificultam o serviço de call center e a sociedade como um todo; como os trotes para o 190 e a Poluição Sonora. A criação do GTI é uma medida dentro desse projeto.