Semas e Ideflor-Bio encerram Semana do Meio Ambiente

08/06/2019 19h10 - Atualizada em 08/06/2019 19h39
Por Pryscila Margarido (IDEFLOR-BIO)

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e o Instituto de Desenvolvimento e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio) encerraram a Semana de Meio Ambiente com uma vasta programação, na manhã deste sábado (8), no Parque Estadual do Utinga (Peut). No Centro de Acolhimento do Parque, a Banda de Música do Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBM-PA) emocionou e alegrou os visitantes com muita música – o público dançou e cantou ao som de MPB ao carimbó.

Ainda no Centro de Acolhimento, a Semas promoveu a apresentação de cine ambiental, assim como na unidade da Semas dentro do Parque. A atividade foi voltada para o público infantil e teve parceria do Batalhão de Polícia Ambiental (BPA).

Crianças da comunidade do entorno do Parque e visitantes foram expectadoras de ministrações lúdicas acerca dos cuidados com a preservação ambiental. Ao final da programação, o Ideflor-Bio realizou o sorteio de uma bicicleta infantil, doada pela empresa parceira Amazônia Aventura. A sorteada foi a pequena Ana Sofia Mendes, que estava no grupo de crianças do entorno do Parque.

"É através da educação que vamos alcançar mudanças de atitudes e comprometimento com a o meio ambiente", avaliou Karla Bengtson, presidente do Ideflor-bio ao falar sobre as ações voltadas as crianças. Na frente do prédio da Semas, dentro do Parque, o projeto "Semeando a Educação Ambiental" realizou ações lúdicas para 39 crianças frequentadoras de Igreja localizada do entorno do Parque. A Heloísa, de 8 anos, adorou a pintura da sacola ecológica. "Eu pintei o mar de azul, a terra e verde e bichinhos. Tem que cuidar de todos eles", comentou a menina.

Para a coordenadora de educação ambiental da Semas, Andreia Monteiro, as ações realizadas nesse sábado representam um bom caminho para o amanhã. "o público infantil será o nosso adulto. A gente tem que trabalhar pra educar e conscientizar e assim garantir a preservação do meio ambiente no futuro", explicou.

Semana de Meio Ambiente – No decorrer da Semana, foram debatidos temas como mudanças climáticas, recursos hídricos, monitoramento e educação ambiental, gerenciamento costeiro, os desafios das barragens no Pará, iniciativas organizacionais para a sustentabilidade, oficinas de coletores de resíduos sólidos e de compostagem, entre outros assuntos que visaram dialogar com o público acerca dos desafios da gestão ambiental no Pará.

Toda a programação foi pensada para debater, com a sociedade, questões estratégicas vinculadas ao processo de gestão do meio ambiente. Essa difusão de conhecimento e de experiências ambientalmente sustentáveis são direcionadas e adaptadas à realidade ambiental do estado. "A programação da Semas foi montada antes mesmo da Semana iniciar. Realizamos uma mesa-redonda de alto nível para debater os rumos do Meio Ambiente no Brasil, estamos coroando esse momento com educação e sempre focamos em ações para o desenvolvimento sociedade respeitando o biodiversidade", afirmou o Secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro O'de Almeida.

Já a presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengtson, ressaltou que todas as atividades desenvolvidas ao longo da semana visaram o fomento da missão de preservação e respeito para com o meio ambiente. "A começar pelo concurso de escolha do nome da Samaumeira que envolveu crianças de 5 a 12 anos. Houve uma participação expressiva, onde elas mostraram - na sua criatividade - o que a árvore representa na entrada do Parque. É esse sentimento que a educação ambiental gera através de uma linguagem simples para que o cidadão desenvolva esse sentimento de pertencimento", pondera.

FEIRA DA BIODIVERSIDADE

Do mel de abelha produzido pela Uruçu Cinzenta – abelha sem ferrão endêmica na região amazônica – às cachaças saborizadas de bacuri, cupuaçu e graviola, a Feira da Biodiversidade, promovida pelo Ideflor-Bio também no Centro de Acolhimento, atraiu a atenção dos visitantes para os produtos orgânicos, livres de agroquímicos, oriundos em diversos municípios do interior paraense. Do município de Bragança, no nordeste do Estado, Raimundo Alves, 74, desenvolve a atividade de apicultura há 10 anos. Depois de formar os seis filhos, ele também resolveu estudar e formou-se em agroecologia.

Filha de Raimundo, a advogada Andréa Milene Alves, 48, juntamente com seus cinco irmãos, resolveu profissionalizar a atividade desenvolvida pelo pai e há 3 anos criou a empresa Raynah – uma junção dos nomes dos pais. Hoje eles comercializam não só o mel de abelha colhido da abelha europeia e da regional Uruçu Cinzenta, como os derivados – própolis, grão de pólen, andiroba, óleo de coco, entre outros.

"Criamos a empresa que tem como carro-chefe a produção de mel e derivados. Temos o grão de pólen, um energético natural. Serve de alimento para as abelhas operárias. O extrato de própolis, que na colmeia serve de proteger de bactérias e pra gente é fungicida e bactericida natural. O mel da Uruçu Cinzenta, da nossa região, tem mais flavonoides e probioticos", pontua Andrea.

Frequentadora do Parque, a artesã Rosa Maria Wanghon, 54, não perdeu a oportunidade de levar para casa hortaliças orgânicas. "Achei maravilhoso. Além de termos a caminhada, ainda temos acesso a esses produtos saudáveis. E essa banda dos Bombeiros pra gente relaxar. Foi uma experiência maravilhosa", elogia.