Alunos promovem mutirão de revitalização em área do Telégrafo

23/05/2019 15h04
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Os alunos da Universidade do Estado do Pará (Uepa) estarão, a partir das 9h desta sexta-feira (24), nas ruas do entorno do Campus I – no bairro do Telégrafo – para realizar uma ação de limpeza, reciclagem e revitalização do perímetro. A iniciativa, intitulada Ruas Verdes, é uma atividade do Grupo de Pesquisa em Educação e Meio Ambiente (Grupema) e do Coletivo Jovem de Meio Ambiente - PA (CJ-PA), do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE). O evento é aberto à comunidade.

O projeto visa a promoção do diálogo com a comunidade do entorno, visando chamar a atenção e estimular a a preservação do espaço. Além disso, busca realizar a revitalização das ruas e calçadas por meio de oficina de jardinagem, com a restauração dos canteiros presentes em frente ao Campus e o plantio de mudas e sementes, sem comprometer as calçadas onde há circulação de pessoas.

Os estudantes chegaram a este objeto de trabalho após perceberem o acúmulo considerável de resíduos sólidos no quadrante educacional composto pelo Campus I da Uepa, Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Vera Simplício, Escola Estadual de Ensino Médio Magalhães Barata e Escola Tecnológica Magalhães Barata, em Belém.

Com o trabalho, o grupo vai diagnosticar o entorno e realizar a limpeza, em conjunto com equipes da Prefeitura Municipal de Belém. Durante o evento, haverá uma ação de ativismo e ocupação de espaços intitulada “Vagas Verdes”, com o objetivo de criar um espaço de convivência entre a universidade, os grupos responsáveis pelo Ruas Verdes e a comunidade, com uma roda de conversa e um piquenique aberto.

A intenção dos organizadores é tornar a ação permanente, realizando acompanhamento periódico junto à comunidade, para garantir a constante manutenção do espaço. O evento é um projeto-piloto e a intenção é expandi-lo para outras áreas da capital.

A atividade conta com o apoio do grupo de voluntários do Greenpeace – Belém/PA, do coletivo Engajamundo, do coletivo Canto Vivo, do Centro Acadêmico de Letras “Eneida de Moraes” – Calem/Uepa e do Centro Acadêmico de História – Cahis/Uepa.