Agência Pará
pa.gov.br
Ferramenta de pesquisa
ÁREA DE GOVERNO
TAGS
REGIÕES
CONTEÚDO
PERÍODO
De
A
EDUCAÇÃO

Competição de leitura entre alunos incentiva aprendizados e movimenta biblioteca

Em Belém, Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dom Pedro II conduz uma disputa para ver quem lê mais livros durante o ano letivo

Por Cristiani Sousa (SEDUC)
10/04/2024 08h19

Alunas Marcelle Mendes (Esq) e Ana Clara (direita)Chamada de "fábrica de sonhos" e palco de uma competição onde todos ganham, a biblioteca é uma ferramenta fundamental para a vida dos estudantes dentro e fora da escola. Na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dom Pedro II, em Belém, a biblioteca é o palco de uma disputa para ver quem lê mais livros durante o ano letivo, é o projeto "Leitura em Movimento", idealizado pela professora Cristiane Caetano, mas nesta competição quem ganha mesmo é a educação.

Yasmin Kwasaki, 15 anos, aluna do 2º ano.Quando o ano letivo começa, a disputa inicia. Atualmente, o recorde é da estudante Yasmin Kawasaki, que conquistou a marca de 55 livros lidos em um ano. A estudante da 2º série do Ensino Médio conta como é carregar o título. "Quando a professora Cristiane me apresentou o projeto, eu me interessei bastante, achei fantástico a ideia da competição servir de incentivo à leitura, e aí eu comecei com a métrica de bater o recorde dela, só que quando eu cheguei lá pela metade da competição, eu já estava lendo por hábito mesmo, por gostar de ler. Então foi um incentivo que me fez gostar muito de ler e não parar, aí eu cheguei aos meus 55 livros por gostar e não só pela competição", contou.

Aluno do 2º ano, Carlos Amoras, 16 anos.O título de maior leitor da escola é bem concorrido e os outros estudantes não se intimidam e querem bater o recorde de Yasmin. "Ano passado, quando eu cheguei na escola, a professora Cristiane apresentou vários projetos para gente, tanto o concurso de redação, como o de leitura, até o ' Estrelas Literárias', que é para escrever um livro. E nós entramos na competição, tentando bater o recorde da outra recordista, a Ana Carla. A Yasmin bateu o recorde, mas a gente vai tentar ultrapassar", disse Carlos Amoras, também estudante da 2° série do Ensino Médio. 

Marcelle Mendes, 14 anos. Aluna do 9º ano.Este ano, novos participantes entraram na competição. A estudante Marcelle Mendes, do 9° ano do Ensino Fundamental, falou sobre o desafio e importância da leitura. “Pra mim, a leitura é muito importante, porque você tendo uma leitura boa, você adquire o conhecimento necessário para a profissão, currículo e outras coisas. Para mim, é muito importante”, disse entusiasmada.

A professora Cristiane Caetano, responsável pelo espaço da biblioteca e idealizadora do projeto, destacou os projetos de leitura realizados na escola. "Eles têm a competição de leitura desde 2017, mas em 2022 o projeto foi tomando notoriedade e cresceu. Temos o projeto, em parceria com o Estante Mágica, que é uma instituição de apoio à leitura e escrita, que nos convidou a fazer parte e eu aceitei de pronto, e deu muito certo, nossos alunos se tornaram escritores e são obras muito boas, tem análises críticas, tem conto de fadas, tem tudo. Então assim, é uma gama muito grande e, quando eu digo pra você que uma biblioteca de escola pública, onde tem mais de 100 livros produzidos pelos próprios alunos, isso pra mim é algo fantástico. E em 2024 vamos aumentar muito mais esse número", frisou.

Já a diretora Cida Oliveira comentou sobre o incentivo da Seduc aos projetos. “A Secretaria de Estado de Educação nos incentiva muito na promoção de projetos, na elaboração de atividades para além da sala de aula e, nós, enquanto instituição, partindo desse princípio da importância, do significado da leitura, na vida de todos nós, porque nós na verdade não paramos de estudar nunca, nós educadores somos os principais motivadores desse processo, além da família, é claro, a estimular os nossos estudantes”, enfatizou.

Leitura em Movimento - o projeto começou com o objetivo de possibilitar que os estudantes fizessem releituras de obras literárias. Mas, com os resultados dos estudantes, o projeto se tornou uma competição de leitura que estimula e desenvolve o aprendizado dentro da escola. Cada estudante é responsável pelo próprio ranking, que é feito após a conclusão da leitura da obra com o auxílio da professora responsável. Ao final do ano letivo, os melhores e maiores leitores são premiados com medalhas em uma cerimônia.

Texto de Fernanda Cavalcante, com colaboração de Igor Oliveira / Ascom Seduc