BPChoq conclui Curso de Operações de Choque e celebra 30 anos de criação

A unidade conta com aproximadamente 180 homens e mulheres que podem atuar nos 144 municípios do estado

27/05/2022 11h15 - Atualizada em 27/05/2022 11h28

Uma cerimônia realizada na última quinta-feira (26), em frente ao prédio histórico do Comando de Missões Especiais (CME), no bairro da Cremação, em Belém, celebrou os 30 anos de criação do Batalhão de Polícia de Choque e a formatura do VI Curso de Operações de Choque. A solenidade militar foi presidida pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Dilson Júnior, acompanhado pelo comandante de Missões Especiais, coronel Sérgio Neves, além de oficiais e praças convidados.

Criado na década de 1940, o Batalhão de Polícia de Choque opera como 3º esforço policial em ocorrências de grande complexidade, como motins e rebeliões, além de prestar apoio ao cumprimento de mandados judiciais de reintegração de posse, realizar policiamento em eventos desportivos e radiopatrulhamento tático. Hoje, a unidade conta com aproximadamente 180 homens e mulheres que podem atuar nos 144 municípios do estado.

“São trinta anos de aprendizado, experiência e maturidade profissional, estando prontos a agir de forma técnica e dando uma resposta legal e aceitável à sociedade. O trinômio do homem de choque, formado pela resistência à fadiga, autocontrole e disciplina elevada, jamais deve ser desfeito, pois juntamente com as dinâmicas de serviço e treinamento constante, mantêm nosso alto padrão de excelência reconhecido Brasil afora”, ressaltou o comandante do Batalhão de Choque, major Leonardo Euller da Silva, que também citou a atuação da unidade nas ruas, alcançando a marca de 40 prisões efetuadas entre os meses de novembro de 2021 e fevereiro de 2022.

Em reconhecimento aos serviços prestados, policiais da unidade foram condecorados com a Láurea do Mérito Pessoal, entregues por oficiais que compõem o Alto-Comando da instituição.

Qualificação

A valorização e o incentivo à capacitação dos profissionais são características que marcam a unidade de choque. Prova disso, foi a formatura, também realizada na manhã de quinta, do 6º Curso de Operações de Choque, que qualificou oficiais, subtenentes e sargentos a atuarem no comando, controle e coordenação de ações de alta complexidade, como operações de reintegrações de posse em área urbana e rural e rebeliões.

O curso teve carga horária de 600 horas/aula e iniciou em março, com 45 alunos. Daqueles que ingressaram, estão entre os concluintes policiais militares de diferentes unidades da PM, um militar da Força Aérea Brasileira (FAB), agentes da Polícia Rodoviária Federal, um policial militar do estado de Roraima e três agentes da Polícia Nacional do Equador. As disciplinas abordaram Técnica e Tática de Controle de Distúrbios Civis, Direitos Humanos, uso adequado dos Instrumentos de Menor Potencial Ofensivo, entre outros conhecimentos adquiridos no estado do Pará e São Paulo, bem como no Distrito Federal.

Para o primeiro colocado do curso, 2º tenente Patrick Vieira, 33 anos, lotado no BPChoq, o término representa a resposta pela dedicação de todo o turno de alunos.

“É uma satisfação grande, não apenas por mim mas por todos os concluintes, todos os meus irmãos choqueanos, companheiros de turma. Terminar em primeiro lugar é uma consequência de um compromisso e dedicação com o elmo de aço que nós representamos. Agora, cabe a cada um de nós difundirmos o conhecimento adquirido e bem representar tanto o batalhão de Polícia de Choque da PM e a nossa gloriosa instituição”, destacou. Ele, o segundo e o terceiro colocados receberam premiações pelo desempenho e dedicação apresentados.

Quem também concluiu o curso foi a 3º sargento Josiene Alves, 42 anos, lotada na 3ª Companhia Independente de Missões Especiais (3ª Cime), em Castanhal. Para ela, a formatura representa a realização de um sonho. “Eu já almejava fazer esse curso desde que eu entrei para a Polícia Militar. Sou apaixonada pelo Batalhão de Choque, tenho uma admiração pelo serviço e hoje não consigo expressar o quanto eu estou feliz por me formar”, explicou a policial que, em 2015, formou-se no Curso de Ações de Choque, voltado para cabos e soldados. Além dela, uma tenente-coronel e uma major também concluíram o curso com aproveitamento.

Familiares e amigos participaram do ponto alto da formatura e comemoraram ao lado dos formados, realizando a aposição dos brevês e manicacas do curso de Operações de Choque, símbolos que identificam os agentes concluintes.

“Os senhores do Comando de Missões Especiais são peças decisivas no combate eficaz contra a criminalidade, em especial, contra o crime organizado. Vivemos um momento de crise em que a Corporação, juntamente com os outros órgãos que compõem o Sistema de Segurança Pública, tem sofrido atentados e ataques contra seus agentes, muito notadamente, aqueles que estão na reserva remunerada. Mas a resposta está sendo dada de maneira técnica, eficiente e eficaz. Em menos de 10 dias nós já tivemos mais de 100 prisões, o que demonstra que a nossa instituição age com foco e com integração das inteligências, seja da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Penal e de outras coirmãs”, explicou o comandante da Polícia Militar, coronel Dilson Júnior, que parabenizou os agentes pela qualificação que irá tornar a instituição mais técnica e assertiva.

A cerimônia foi encerrada com um desfile militar, formado por tropas representativas da Banda da Polícia Militar, Guarda Bandeira, Batalhão de Polícia de Choque e desfile motorizado.

Texto: Taiane Figueiredo/ Ascom CB PM

Por Governo do Pará (SECOM)