Massa fria de origem polar chega ao Brasil sem efeito significativo no Pará

A análise é do Núcleo de Monitoramento Hidrometeorológico da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas)

13/05/2022 15h48 - Atualizada em 13/05/2022 16h23

Informações climáticas do Centro de Informações Meteorológicas de Goiás, indicam que o Brasil deve enfrentar uma massa de ar frio de origem polar, que causará temperaturas atípicas para o mês de maio na região Centro-Sul do País, com mais intensidade entre a próxima segunda-feira (16) até o domingo (22). A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) afirma que esse comportamento meteorológico não deve provocar mudanças significativas de temperatura no Pará.

O fenômeno está sendo divulgado como uma “erupção polar histórica“. No período anunciado da próxima semana, o fenômeno meteorológico pode alcançar temperatura próxima a zero grau (0º), no município de Jataí, no estado de Goiás; na capital goiana, Goiânia pode atingir 4ºC e em Brasília (DF) vai oscilar entre 9º e 11ºC. 

No Estado do Mato Grosso (MT) também será percebido mudança de temperatura, mas a partir da divisa desse Estado com o Pará, de acordo com o Núcleo de Monitoramento Hidrometeorológico da Semas, a massa fria estará diluída. “Os efeitos na temperatura no Estado não serão significativos. Essa redução da temperatura prevista atingirá, principalmente, os municípios do extremo sul do Pará, onde podem ser registradas temperaturas de até 15 ºC”, afirma o coordenador do Núcleo, Saulo Carvalho.

Previsão para Maio

O boletim climático da Semas aponta que este mês de maio seguirá chuvoso na Região Metropolitana de Belém (RMB), assim como foi o mês de abril. Mesmo sendo um mês considerado de transição entre o período chuvoso e o seco, maio apresenta previsão máxima de até 500 milímetros de chuva em pontos do Estado, como na região do Arquipélago do Marajó.

Os números em diversos pontos, a exemplo da RMB e municípios da região Norte e Litoral Nordeste do Pará, como Marajó, Alenquer, Óbidos e Oriximiná, apresentam expectativa de chuva maior do que o habitual para este período do ano, com índices variando entre 300 e 400 milímetros de chuva no mês.

A situação é oposta para a parte sul do Estado, em municípios como Conceição do Araguaia, Redenção e Cumaru do Norte, com previsão de poucas chuvas durante este mês. Nessas localidades os volumes tendem a ficar, em média, na casa dos 75 milímetros.

Nas demais regiões do Pará o volume de chuvas deve permanecer entre os 100 e 150 milímetros, índice considerado normal pelos especialistas da Semas. “Com o passar dos dias, em geral, devemos ter uma elevação da temperatura de modo geral no Estado, especialmente pela parte da manhã e início da tarde, com formação de chuvas durante o final da tarde e início da noite”, finaliza o coordenador.

Por Aline Saavedra (SEMAS)