Programa TerPaz completa dois anos de implantação no bairro do Guamá, em Belém

A Câmara Técnica Intersetorial (CTI) do Terrritórios pela Paz divulgou nesta terça-feira (19) que o programa realizou mais de 44 mil atendimentos no bairro

19/10/2021 12h10 - Atualizada em 11/11/2021 16h26

A aferição da pressão arterial permite guiar condutas terapêuticas individuais,identificar fatores de risco associados à hipertensão arterialA doméstica Lilian Bonfim, 43 anos, moradora do Guamá, desde a infância, foi uma das pessoas beneficiadas com o programa Territórios Pela Paz, que completa dois anos de implantação no bairro. Ela afirma que o TerPaz veio melhorar a vida da comunidade.

“Eu só tenho a agradecer, é algo que para nós da periferia veio como uma benção. Graças ao programa TerPaz, consegui realizar vários serviços como atendimento médico, exames e a emissão da minha RG. Além disso, consegui uma cadeira de rodas para a minha mãe, que sofreu um grave acidente”, ressaltou ela. 

Segundo dados divulgados esta semana pela Câmara Técnica Intersetorial (CTI) do TerPaz, já foram realizados mais de 44 mil beneficiamentos durante esses dois anos atuando no território do Guamá. Resultado do trabalho integrado que envolve 36 secretarias, autarquias e fundações do Estado que vêm levando política de inclusão social, segurança e diversos serviços gratuitos à população.

O TerPaz oferta ações de saúde, capacitação técnica, subsídios para a aquisição e/ou reforma habitacional, educação ambiental, disponibilização de crédito para empreendedorismo e fomento aos arranjos econômicos locais, assim como atendimentos específicos para mulheres provedoras do lar e os jovens, entre outros. Atualmente, as ações do TerPaz são realizadas em escolas públicas, delegacias, centros comunitários e instituições parceiras.

Para a professora Raquel Santos, 50 anos, o programa TerPaz, tem sido de extrema importância para a comunidade. “Quando conheci o programa, eu estava em uma fase muito difícil na minha vida porque o meu irmão estava doente e não tínhamos como pagar pelos exames, e graças ao TerPaz conseguimos atendimento. Eu também já me consultei e fiz alguns exames. Esses serviços ofertados pelo programa estão ajudando muito a nossa comunidade”, disse ela.  

Ainda de acordo com os dados da CTI do TerPaz, nesses dois anos de ações, foram feitos 33.308 atendimentos médicos no bairro do Guamá, por meio do projeto TerSaúde, executado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), dentro do programa Territórios Pela Paz (TerPaz). As ações ocorrem aos finais de semana, nos sete territórios beneficiados pelo programa: Benguí, Cabanagem, Guamá, Jurunas, Terra Firme, Icuí-Guajará e Marituba.

Raquel também participou da visita que ocorreu no Theatro da Paz, onde cerca 30 mulheres, do bairro do Guamá, assistiram ao espetáculo: O Quarto, ação que fez parte da reabertura do Theatro.  

“Foi uma experiência maravilhosa, que pude dividir com outras mulheres do bairro do Guamá, o espetáculo abordou um tema atual que ocorre na sociedade. Essas ações realizadas pelo programa são de extrema importância”, concluiu.

Oportunidade

O programa TerPaz também estimula o empreendedorismo, oferecendo cursos profissionalizantes. O autônomo, Denilson de Oliveira, 46 anos, morador do bairro do Guamá há 12 anos, é uma dessas pessoas que já participaram dessas ações. Atualmente ele está fazendo o curso profissionalizante em pintor de obras, promovido pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em parceria com o Programa TerPaz, que é vinculado à Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac). A iniciativa conta com o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem (Senai), com a carga horária de 160 horas. 

“Agora tenho a oportunidade de fazer o curso de pintor de obras, pelo programa TerPaz, totalmente gratuito, o que é de extrema importância para nos qualificarmos, porque muitas vezes não temos como pagar, eu estou muito feliz em estar fazendo esse curso e podendo me qualificar para o mercado de trabalho’’, declarou o morador.  

Para o titular da Seac, Ricardo Balestreri, levar os serviços do TerPaz ao Guamá significou superar alguns obstáculos. "O Guamá foi o nosso penúltimo território a ser lançado em 2019. Caracterizado como o mais populoso de Belém, tivemos um grande desafio, devido a essa extensão, tanto na entrada do programa quanto na expansão dele. Entretanto, encontramos uma comunidade carente de políticas públicas e de oportunidades, seja para a emissão de documentos, realização de cursos ou atendimento médico. O TerPaz trouxe diversos serviços, o que resultou nesse número expressivo de beneficiamentos, que não são apenas números, são vidas transformadas pelo Governo do Estado"

Usina da Paz

Além do trabalho que já vem sendo realizado pelo programa TerPaz, o bairro do Guamá também será polo das “Usinas da Paz” (UsiPaz), projeto integrado ao programa estadual Territórios Pela Paz, elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), em parceria com a iniciativa privada.

O complexo é construido na avenida Bernardo Sayão, nº 4783, entre as Passagens Rui Barbosa e São Lázaro. As obras são executadas em parceria com a mineradora Hydro, por meio de um termo de cooperação. O Estado não recebe nenhum recurso financeiro da empresa. A Usina será entregue em 2022 ao governo pronta e equipada.

A dona de casa, Cecilia dos Santos, 46 anos, já realizou vários serviços dentro do programa TerPaz, ela contou que está ansiosa para a inauguração da UsiPaz no bairro.

‘’Dentro do programa TerPaz eu já consegui atendimento médico, tirei documentos e também fui beneficiada com a entrega de cestas básicas, o que me ajudou muito. E com a implantação da Usina da Paz, aqui no bairro, será ainda melhor, já que aqui na comunidade não tínhamos um espaço assim’’, afirmou a moradora. 

O projeto consiste em um grande complexo público, em uma área de aproximadamente 10 mil m², com a finalidade de garantir a permanência do Estado nos territórios, com ênfase na prevenção à violência, inclusão social e fortalecimento comunitário.

Entre os espaços, as UsiPaz terão complexos esportivos, salas de audiovisual, salas de inclusão digital e vários outros serviços, como atendimento médico e odontológico, consultoria jurídica, emissão de documentos, ações de segurança, capacitação técnica e profissionalizante, espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade.

Também haverá locais para cursos livres e de dança, teatro, robótica, artes marciais, musicalização e biblioteca.

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)