TerPaz completa dois anos de serviços oferecidos a moradores do bairro do Icuí-Guajará, em Ananindeua

Câmara Técnica Intersetorial do programa registrou 51.319 atendimentos durante 24 meses de atuação na comunidade

29/07/2021 09h44 - Atualizada em 29/07/2021 12h34

Maísa Nunes conta que o TerPaz garantiu melhorias de vida não só para ela como para toda a comunidadeEm 29 de julho de 2019, o programa Territórios Pela Paz (TerPaz) foi inserido no bairro do Icuí-Guajará, em Ananindeua, marcando a entrada da política integrada de inclusão social na comunidade. Desde então, foram muitas as histórias de vida e superação dos moradores. Uma dessas pessoas é a Maísa Daniele Nunes, de 39 anos, uma mulher trans que relembrou como a saúde era precária na comunidade até a chegada do TerPaz. “Antes, para eu conseguir atendimento médico aqui no bairro levava aproximadamente um ano e agora já realizei várias consultas e exames, tudo pelo TerPaz. Esse programa é maravilhoso’’, disse.

Maísa é moradora do bairro do Icuí-Guajará há 17 anos. Além das consultas e exames, ela contou que está prestes a realizar um dos seus sonhos com a ajuda do programa. “Comecei o meu tratamento desde 2014, e de lá para cá venho tentando fazer a mudança do meu nome, sem sucesso, mas agora, graças ao TerPaz, já consegui o encaminhamento e estou quase realizando esse sonho’’, concluiu ela.

Esse resultado reflete o trabalho integrado que envolve 36 secretarias, autarquias e fundações do Estado, que vêm levando segurança e diversos serviços gratuitos à população, como saúde, capacitação técnica, subsídios para a aquisição e/ou reforma habitacional, educação ambiental, disponibilização de crédito para empreendedorismo e fomento aos arranjos econômicos locais, assim como atendimentos específicos para mulheres provedoras do lar e os jovens, entre outros. As ações do TerPaz são realizadas, atualmente, nas escolas públicas, delegacias, centros comunitários e instituições parceiras.

De acordo com dados divulgados, esta semana, pela Câmara Técnica Intersetorial do TerPaz, já foram realizados 51.319 atendimentos durante esses dois anos atuando no território do Icuí-Guajará.

A Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania é o órgão responsável por articular o conjunto de secretarias e órgãos de governo e dar seguimento às ações do TerPaz. O titular da pasta, Ricardo Balestreri, ressaltou a importância do programa como mecanismo de política pública e transformação social para a população. "Ao celebrarmos dois anos de instalação da política pública Territórios pela Paz (TerPaz), do Governo do Estado do Pará, no Icuí-Guajará, em Ananindeua, temos muito a comemorar. O TerPaz hoje é vivo e pujante no seio dessa comunidade, levando atendimento, inclusão social, empreendedorismo e protagonismo a uma população maravilhosa, trabalhadora, criativa, para a qual só faltavam oportunidades”, disse Balestreri.


Saúde

 A dona de casa Jociana Pinheiro, 28 anos, tem três filhos, sendo que o mais velho, de 10 anos de idade, teve paralisia cerebral quando nasceu, por isso, precisa realizar consultas e exames periodicamente. 

Jociana Pinheiro e os filhos relatam acesso mais facilitado à saúde pública“Um dos meus filhos nasceu prematuro, de 6 meses. Ele teve várias paradas cardiorrespiratórias e uma delas afetou uma parte do cérebro, que controla a coordenação motora. Fora a paralisa cerebral, ele ficou com uma lesão no pé e não consegue andar, então, precisava de um acompanhamento médico constante, e aqui era muito difícil, mas agora, consegui não só atendimento para ele, mas para mim e os meus outros filhos’’, afirmou.

Segundo os números divulgados pela Câmara Técnica Intersetorial do TerPaz, nesses dois anos, já foram realizados mais de 32 mil atendimentos médicos no bairro do Icuí-Guajará, por meio do projeto TerSaúde, que é executado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), dentro do programa Territórios Pela Paz (TerPaz). As ações ocorrem aos finais de semana, nos sete territórios beneficiados pelo programa: Bengui, Cabanagem, Guamá, Jurunas, Terra Firme, Icuí-Guajará e Marituba.


Cidadania

A juventude também está inserida no programa TerPaz, como é o caso da estudante de 17 anos, Layse Silva, que participou da oficina de Comunicação Integrada do ‘Cenas de Paz’, projeto desenvolvido dentro do TerPaz pela Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa). O objetivo é levar conteúdos diversos de comunicação, com duração de 72 horas/aula. 

Layse Silva comemora nova oportunidadeOs participantes aprendem técnicas para o desenvolvimento de produtos audiovisual e rádio, perpassando por noções de câmera, web e edição. Durante cada curso, um dos alunos é selecionado para ser contratado pela Funtelpa, como menor aprendiz, e Layse foi uma das contempladas.

“Essa foi uma experiência única, o curso foi maravilhoso, aprendi muitas coisas, como a ter mais desenvoltura, com a aula de corpo e voz e de teatro. Além disso, também pudemos aprender técnicas de fotografia. Eu estou muito feliz em ter sido escolhida para trabalhar na Funtelpa, como menor aprendiz, e não vejo a hora de começar’’, afirmou a estudante. 


Segurança

 Outra mudança sentida pelos moradores do bairro do Icuí-Guajará foi a redução da violência. O estudante de 16 anos, Adan Monteiro, lembra como era o bairro no passado. “Hoje eu me sinto mais seguro aqui no bairro, já que antigamente nós não podíamos nem sentar nas portas das nossas casas, e agora essa realidade mudou. Além disso, o programa possibilitou muitas outras melhorias, como na área da saúde e da educação. Eu mesmo já fiz dois cursos e também estou participando do projeto Música pela Paz”, disse ele.

Adan Monteiro relembra passado difícil no bairroUm levantamento realizado pela Secretaria-Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), apontou que de 1º de janeiro a 30 de junho, os Crimes Letais Intencionais, que reúnem casos de homicídio, latrocínio e lesão corporal, foram reduzidos em 45,9%, ou seja, 987 vidas foram preservadas, comparando os seis primeiros meses dos anos de 2018 e 2021. Ao comparar somente o mês de junho de 2018 e 2021, a queda é de 46,6% (163 mortes a menos).


Usina da Paz

O bairro do Icuí-Guajará também será polo do “Usinas da Paz” (UsiPaz), um projeto integrado ao programa estadual Territórios Pela Paz, elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), em parceria com a iniciativa privada. 

 Serão construídos grandes complexos públicos em áreas de aproximadamente 10 mil metros quadrados com a finalidade de garantir a permanência do Estado nos territórios, com ênfase na prevenção à violência, inclusão social e fortalecimento comunitário, em três eixos fundamentais: assistência, esporte/lazer e cultura. 

“A vida nesses territórios está mudando fortemente para melhor com o TerPaz e, brevemente, isso será incrementado com a inauguração da Usina da Paz também no Icuí, um complexo de serviços públicos, como cultura, educação, esporte e lazer, a serviço de toda a comunidade. É o Estado se fazendo presente, através de todas as suas secretarias e órgãos, atuando em conjunto, abrindo portas, estendendo as mãos, apoiando essa gente parceira que merece ser cuidada com grande respeito, carinho e atenção”, disse o secretário da Seac, Ricardo Balestreri.

Entre os espaços, as UsiPaz terão complexos esportivos, salas de audiovisual, atividades de inclusão digital e vários serviços, como atendimento médico e odontológico, consultoria jurídica, emissão de documentos, ações de segurança, capacitação técnica e profissionalizante, espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade. Também haverá espaços para cursos livres e de dança, teatro, robótica, artes marciais, musicalização e biblioteca.    

 

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)