Pará bate recorde de empregos na construção civil na região Norte

26/07/2021 17h37

Balanço efetuado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA) aponta o crescimento no emprego formal no setor da construção no Pará: pouco mais de 12 mil postos de trabalho nos últimos 12 meses, o que representa o maior saldo dentre todos os estados da região Norte. A flutuação em maio deste ano mostra também saldo positivo de 3.041 postos - no mesmo período do ano passado, portanto ainda no terceiro mês da pandemia, a situação registrada foi de queda, com a perda de 100 vagas. 

Além de impactar no desenvolvimento do estado, os dados, divulgados na última sexta, 23, sugerem novas perspectivas na vida dos paraenses que conseguem colocação profissional com carteira assinada. Os números revelados pela pesquisa refletem ainda o resultado da articulação de uma série de outras políticas de incentivo promovidas pelo Estado que ajudam a movimentar a economia. 

"O governo do Pará tem investido em um calendário de obras muito intenso, o maior dos últimos anos, no valor de mais de R$ 2 bilhões. Com o início do verão, o planejamento de construção das rodovias paraenses ganhou celeridade, logo, o setor de construção civil tem se mantido como um dos principais empregadores", confirma o secretário de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Inocencio Gasparim. 

O gestor credita a geração de 12 mil postos de trabalho nos últimos 12 meses como resultado de um plano de governo que deu suporte para a atração de novos investimentos, o que permitiu dar estrutura e infraestrutura para implantação de novas empresas e o impulso na construção de grandes obras. "Aliados a proposições e pacotes econômicos, direcionados sobretudo aos mais vulneráveis, aos trabalhadores essenciais, o Pará segue conquistando bons frutos, retomando a economia e projetando avanços no mercado de trabalho formal", reforça Inocencio. 

Quem ajuda a entender esse momento positivo no setor é o pedreiro Jeová Diniz, de 25 anos, morador de Parauapebas, no sudeste paraense. Ele foi um dos trabalhadores contratados formalmente por uma empresa que executa serviços de construção e começou a trabalhar nas obras da Usina da Paz no município, que iniciaram em 30 de março de 2020 e ocupam 4,5 mil m2 de espaço, construídos em dez mil m2 de terreno. O canteiro de obras fica localizado no bairro Tropical II, onde também é morador. 

“Moro bem próximo aqui da Usina, nesta rua ao lado, e trabalhar aqui, para mim, é motivo de orgulho, porque o nosso bairro precisa muito dessa assistência. Eu vejo que esse projeto do governo do Estado vai conseguir resgatar e ajudar muitas pessoas. Está sendo uma oportunidade para mim e vai ser para todos”, afirma. 

Por Carol Menezes (SECOM)