Atividades teóricas e de campo marcam início da Residência Profissional Agrícola na Emater

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará oferta capacitação de 90 horas para estudantes residentes da Universidade Federal da Amazônia (UFRA)

26/04/2021 15h35 - Atualizada em 26/04/2021 16h14

Em Benevides, Região Metropolitana de Belém, os residentes em reunião com os agrônomos, engenheiros de pesca e florestal da EmaterUma visita de reconhecimento de parte dos vinte residentes da Universidade Federal da Amazônia (UFRA) ao escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) e às comunidades de Taiassui, Coréia e Paricatuba, em Benevides, onde realizarão atividades de campo da residência, marcaram o início das atividades da Residência Profissional Agrícola, neste final de semana, na Região Metropolitana de Belém (RMB). A visita aconteceu em 23 deste mês de abril, e foi seguida pela primeira aula teórica reunindo todos os residentes, nesta segunda (26), no auditório da Emater.

Em Benevides, os residentes foram recebidos pelos tutores, os agrônomos Jorge Almeida, Vanessa Cruz e Antonio Carlos Silva; o engenheiro de pesca, Tiago Catuxo; e o engenheiro florestal, Denilson de Sousa.

“(A parceria) é de suma importância para a agricultura familiar de Benevides, pois os alunos recém formados trazem um novo fôlego, uma nova visão que se agrega às práticas da agricultura familiar e ao conhecimentos técnicos da Emater. São novas relações que trazem uma visão diferente, trazem transformações”, afirmou o engenheiro florestal, Denilson Souza.

Engenheira agrônoma e residente da UFRA, Tinayra Costa: "É mais uma experiência que nos dá base para enfrentar o mercado". De acordo com Antônia Bronze, professora da UFRA e coordenadora da residência, o programa tem 90 horas de capacitação em extensão rural, executadas com o apoio da Emater.

“É um curso que tem toda uma logística na área de extensão rural e esse know-how quem tem é a Emater. Então, esses residentes vão ser capacitados nessas 90 horas em 3 módulos e hoje está sendo o primeiro momento do primeiro módulo”, afirmou Bronze, sobre a programação do curso, iniciada com a aula inaugural, no auditório da Emater, em Marituba.

A coordenadora também destacou a importância da residência.  “Esses profissionais vão estar capacitados para atuarem dentro das comunidades rurais, dentro da extensão rural, com a agricultura familiar. Então a sociedade ganha profissionais mais especializados dentro da agricultura familiar, e dada a importância que a agricultura familiar tem no  Pará para a produção de alimentos, esses jovens profissionais irão também contribuir com o fortalecimento desse sistema produtivo dentro do Estado do Pará”.

Residentes da UFRA em atividades de campo, em Benevides, durante as aulas do curso de 90 horas realizado pela Emater Formada em janeiro de 2020, a engenheira agrônoma Tinayra Costa está confiante que a residência vai especializá-la e garantir que esteja mais capacitada para o exercício profissional. “É mais uma experiência que nos dá base para enfrentar o mercado de trabalho. A minha expectativa é de viver, apreender, ter a vivência com os produtores e ter essa troca de experiência com os técnicos que atuam nos escritórios da Emater, e também levar o conhecimento que eu tive durante o processo de formação”.

“A nossa expectativa é principalmente interagir com esses profissionais mostrando qual é a realidade rural do Estado e como a Emater funciona, como ela está lá na ponta promovendo, desenvolvendo, proporcionando esse desenvolvimento local. E isso fará com que eles sejam profissionais que tenham uma sensibilidade muito maior para o público que nós atendemos e futuramente possam ser os profissionais que atuarão pela extensão rural no Estado do Pará”, disse a responsável pelo Núcleo de Metodologia e Comunicação da Emater, Cristiane Corrêa.

Dentro da aula inaugural, um dos temas abordados pelo engenheiro agrônomo, Raimundo Nonato da Silveira Ribeiro, foi a história da Assistência Técnica e Extensão Rural no Brasil e no Estado. Uma história protagonizada há 55 anos pela Emater, presente em todos os municípios paraenses, com orientações, serviços e assessorias para os produtores rurais.

*Por Etiene Andrade (Ascom / EMATER)

Por Rodrigo Reis (EMATER)