Famílias vítimas de incêndio são contempladas com o programa 'Sua Casa'

As famílias interessadas em se cadastrar no Programa podem ir à Cohab, na Passagem Gama Malcher, nº 361, no bairro do Souza, em Belém

05/03/2021 13h58 - Atualizada em 05/03/2021 16h42

O ato de entrega do benefício 'Sua Casa' reuniu as famílias; a primeira-dama, Daniela Barbalho; e o titular da Cohab, Luís André Guedes O governo do Estado entregou nesta sexta-feira  (5), o benefício habitacional "Sua Casa", que concede auxílio para construção, reconstrução e ampliação de moradias, para seis famílias de Belém e de Ananindeua. O ato de entrega foi realizado com a participação do governador Helder Barbalho, e do prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues. 

Durante o evento, a primeira-dama do Estado, Daniela Barbalho, conversou com as famílias que tiveram os imóveis atingidos pelas chamas e reforçou o compromisso do governo estadual na assistência social.

"A entrega de hoje mostra que nós damos a atenção para a população. Eu digo para as famílias que estão aqui com a gente que o governo do Estado tem atenção especial. Nós nos preocupamos com todos que precisam e a entrega realizada aqui representa o cuidado que temos", afirmou Daniela Barbalho.

A cerimônia de entrega dos benefícios foi realizada no Palácio do Governo com as presenças do governador e do prefeito de BelémO "Sua Casa" é gerenciado pela Companhia de Habitação do Estado do Pará (Cohab), que investiu nessa ação mais de 47 mil reais. O presidente da companhia habitacional paraense, Luís André Guedes, presente durante o evento, detalhou a importância da utilização adequada dos benefícios.

"Sabemos que esse apoio que o Estado dá é importante nesse momento de reconstrução de casas e de vidas. Por isso, oriento que o 'Sua Casa' seja usado na reforma e que se tenha cuidado na prestação de contas para que os contemplados possam receber a segunda parcela do programa", enfatizou Luís Guedes.

Seu Manoel da Conceição Rodrigues, de 67 anos, chorou ao receber o benefício. O idoso, que trabalha como vendedor de frutas, se emocionou ao lembrar que perdeu a esposa três meses antes do incêndio destruir a casa dele. "Não tive tempo de salvar nada. Perdi tudo que tinha em casa. Eu já não sou mais novo e não tenho mais a minha companheira que agora está com Deus, mas estou muito feliz por receber essa ajuda. O governo entregou esse benefício e agora eu vou recomeçar", festejou o beneficiário.

Para Mariza Lima, secretária de Cidadania, Assistência Social e Trabalho de Ananindeua, ações em conjunto com o governo do Estado são importantes para a população. "O apoio que estamos recebendo do governo do Estado é importante. Tudo que estamos fazendo hoje mostra esse apoio entre município e Estado para garantir que a população seja atendida". 

 "Vimos hoje como a ação é importante. E esse bem maior hoje é em prol das famílias que perderam as casas. Nós estamos desenvolvendo uma parceria muito importante para os moradores", afirmou a coordenadora da Defesa Civil Municipal, Cristiana Ferreira da Silva.

"Me sinto grata por ser ajudada. Agradeço ao governo, a todos os técnicos que tiveram a atenção de me ouvir e me ajudar. Vou reconstruir a minha casa e a minha vida com essa ajuda. Obrigada meu Deus", disse dona Graciete Evangelista Gomes, de 61 anos.

As famílias interessadas em se cadastrar no programa podem se dirigir ao prédio da Cohab, na Passagem Gama Malcher, nº 361, no bairro do Souza, em Belém. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (91) 3214-8521.

Critérios do Programa Sua Casa:

- Renda familiar de até três salários mínimos.

- Não possuir outro imóvel.

- Ser maior de 18 anos ou emancipado.

- Ter família constituída com no mínimo dois integrantes.

- Não ter sido beneficiado por outro programa habitacional nos âmbitos municipal, estadual e federal.

- Comprovar que detém a propriedade ou posse do imóvel há mais de cinco anos.

- Famílias que já foram beneficiadas em outros programas habitacionais podem ser atendidas, em caráter excepcional, em caso de ocorrência de sinistro, condições mínimas de habitabilidade, vulnerabilidade social e/ou remanejamento.

Por Ronan Frias (COHAB)