Mosqueiro e bairro da Cabanagem são as próximas frentes do Asfalto Por Todo o Pará

Programa prevê um total de 505 km de asfaltamento em mais de 100 municípios paraenses

22/02/2021 13h27 - Atualizada em 22/02/2021 13h51
Por Dayane Baía (SECOM)

Governo do Estado mantém frentes na Região Metropolitana de Belém, em municípios como Benevides, Marituba e Ananindeua Dos 100 quilômetros de pavimentação do Programa Asfalto Por Todo o Pará previstos para a Região Metropolitana de Belém, 54,22% já foram executados. O restante deve ser concluído ainda no primeiro semestre de 2021. Vias do bairro da Cabanagem e do Distrito de Mosqueiro passam por levantamento topográfico para início das obras.

Um dos pilares de infraestrutura da Gestão estadual, o Programa Asfalto Por Todo o Pará prevê um total de 505 km de asfaltamento em mais de 100 municípios paraenses. Conduzido pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), a partir de convênio com o Banco do Brasil, representa um investimento de R$ 718 milhões, e inclui serviços de terraplenagem, meio-fio e calçada.

De acordo com o coordenador do Programa, Gilmar Mota, a escolha das vias contempladas considera maior necessidade de infraestrutura. “A viabilidade técnica das vias também é importante, pois o trabalho de pavimentação e serviço de drenagem é uma atribuição das prefeituras. O Estado interfere nas localidades onde não há infraestrutura, ou um índice de deficiência. Os bairros do Guamá, Terra Firme e Marco, por exemplo, historicamente sofrem com alagamentos”, afirmou o engenheiro.

Gilmar diz que para a Grande Belém estão previstos 100 km, dos quais 60 km são para a capital. “Iniciamos o levantamento topográfico em Mosqueiro e Cabanagem. No Distrito as obras em 1,9 km devem começar ainda essa semana, após o serviço das equipes de limpeza. Já para a Cabanagem serão mais de 7 km, e as vias devem receber drenagem profunda e superficial”, detalhou o coordenador. 

Somente em Belém, desde que foi lançado, o Programa já chegou a 17,52 km de vias nos bairros do Guamá, Icoaraci, Terra Firme,  Marco, Telégrafo, Marambaia e Tenoné. “Existe uma possibilidade bem próxima de aumentar para mais 40 km dentro de Belém, ainda dentro desse convênio da área Metropolitana”, adiantou Gilmar Mota.

Além de Belém, os municípios de Benevides, Marituba e Ananindeua também recebem obras. A chuva não deve ser um empecilho para a execução. “Moramos em uma região que chove, então não tem tanto impacto. Mas a pandemia diminuiu o efetivo das empresas prestadoras de serviço, diminuindo um pouco o ritmo”, avaliou o coordenador.