Começa a quarta fase da Operação Amazônia Viva

Balanço das três fases aponta a apreensão de 3.175 m3 de madeira ilegal e a proteção de quase 100 mil hectares, área equivalente à cidade de Belém

23/09/2020 13h10 - Atualizada em 23/09/2020 14h21
Por Anna Paula Mello (SEMAS)

Equipe da Força Estadual de Combate ao Desmatamento volta a campo nesta quarta-feira (23) em 15 municípios paraenses Nesta quarta-feira (23), as equipes integradas da Força Estadual de Combate ao Desmatamento iniciam as incursões no interior do Estado, em pontos com atividades de desmatamento, mapeados por satélite.

A exemplo das outras fases, nesta quarta etapa, a Operação Amazônia Viva vai abranger 15 municípios e terá duração de 15 dias. As frentes de trabalho cobrem áreas estratégicas de Anapu, Uruará, Pacajá, Itaituba, São Félix do Xingu e Novo Progresso.

“Nossa idéia é manter uma presença constante do Estado nos lugares sensíveis, nos quais os crimes ambientais ocorrem com mais frequência. Por isso, nossa estratégia sempre é a de atuar na região dos 15 municípios com maiores índices de desmatamento”, explica o coordenador da Operação e diretor de Fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente e Sustetabilidade (Semas), Rayrton Carneiro.

A operação faz parte do eixo de Comando e Controle, do Plano Estadual Amazônia Agora, do Governo do Pará, com coordenação da Semas. As equipes que vão a campo, são formadas por policiais civis e militares, fiscais da Semas e do Corpo de Bombeiros.

A Amazônia Viva se demonstra eficiente nos resultados. Ainda na segunda fase, em julho, a operação conseguiu reduzir em quase 30% o desmatamento em áreas estaduais dentro do território paraense, se comparado ao mês de julho de 2019.

Em agosto de 2020, o resultado da iniciativa foi ainda maior e a presença das equipes de fiscalização contribuiu para a deminuição do desmatamento em 60% em relação a agosto de 2019, nas áreas de jurisdição do Estado, no período de permanência dos fiscais. 

Um balanço das três fases da operação, também revela que 3.175 m3 de madeira foram apreendidos e quase 100 mil hectares foram embargados, o equivalente à área territorial de Belém. Para o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro O’ de Almeida, essa é uma demonstração de que as ações do Plano Estadual Amazônia Agora estão no caminho certo.

“A Operação Amazônia Viva é a presença do Estado de uma maneira constante, nunca vista antes. A atuação das nossas equipes tem diminuído expressivamente o desmatamento. Em paralelo a isso, outras ações do Plano Estadual Amazônia Agora também atuam na regularização ambiental e fundiária e no apoio às boas práticas ambientais para os produtores rurais. Dessa maneira ampla, nós vamos conseguir mudar essa cultura do desmatamento”, acrescenta o secretário Mauro O' de Almeida.