Curso online trabalha atendimento integral à mulher vítima de violência de gênero

A pedido da Fundação ParáPaz, capacitação da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos quer aprimorar a integração dos serviços e o atendimento humanizado

24/08/2020 14h38 - Atualizada em 24/08/2020 16h01
Por Gerlando Klinger (SEJUDH)

Entre os dias 25 e 28 de agosto, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos realizará o minicurso a distância “Aspectos do atendimento integrado e Integral à mulher em situação de violência - Unidades do ParaPaz Mulher/DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher). A capacitação se volta exclusivamente aos profissionais das áreas e setores que atuam nas unidades integradas de Ananindeua, Altamira, Belém, Breves, Bragança, Marabá, Paragominas, Santarém, Tucuruí, Parauapebas, Sala Lilás – em Marituba, Santa Maria do Pará e Vigia.Minicurso da Sejudh quer aprimorar acolhimento à mulher

O evento foi demandado pela Fundação Parapaz à Coordenadoria de Integração de Políticas para as Mulheres, da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), responsável na gestão estadual, pela articulação e monitoramento das políticas públicas dirigidas às mulheres no Pará. 

O minicurso foi organizado em parceria com a Sejudh, Fundação Parápaz, Polícia Civil, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça, Patrulha Maria da Penha, Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e a Escola de Governança do Estado (EGPA).

As aulas na modalidade a distância, terão carga horária total de 8h, restritas a profissionais das unidades especializadas. O objetivo geral é identificar as dificuldades no que se refere à operacionalização do atendimento às mulheres em situação de violência, visando requalificar as intervenções e fluxos internos e externos, para garantir melhor integração dos serviços e proporcionar um atendimento de maior qualidade, humanizado e acolhedor às mulheres.

Diversos temas relacionados à violência de gênero serão debatidos, além de análises das vivências e construção de novos fluxos de atendimento com a participação de diversos atores do sistema como juízes, promotores de justiça, defensores públicos, delegados, assistentes sociais e psicólogos.

O evento pretende, também, garantir um avanço maior quanto à qualificação do acolhimento e atendimento das mulheres vítimas de violência, além de cumprir a missão de contribuir na implementação da Lei Maria da Penha e fazer com que o Pará avance na implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), quanto à Meta 5 – Promoção da Igualdade de Gênero, considerando a desigualdade e violações dos direitos das mulheres.