Policlínica Itinerante já passou por 70 municípios e atendeu mais de 57 mil pessoas

Municípios da região nordeste são os próximos a receberem os serviços da ação do governo do Estado

15/07/2020 10h05 - Atualizada em 15/07/2020 12h41
Por Larissa Noguchi (SECOM)

Ação foi intensificada em Belém e região metropolitana com as Polis Itinerantes nos bairrosComo plano de contingência no combate à Covid-19, o governo do Pará disponibiliza serviços de saúde por meio da Policlínica Itinerante, desde o dia 14 de maio. O atendimento móvel é destinado para pessoas com sintomas leves e moderados da doença. Até agora, as unidades móveis já passaram por 70 municípios do Pará, registrando mais de 57 mil atendimentos.

Desde o dia 30 de maio, a ação foi intensificada em Belém e região metropolitana com as Polis Itinerantes nos bairros. “Nós verificamos que após iniciarmos o serviço itinerante, tanto em Belém como Ananindeua, ocorreu a diminuição de procura no Hospital Abelardo Santos, porque entendemos que levamos os serviços mais próximos da população”, explicou Alessandra Amaral, coordenadora da Policlínica Itinerante.

Os atendimentos seguem o mesmo padrão, os pacientes passam por uma triagem, consulta até a entrega de kits com medicamentos, seguindo os protocolos do Ministério da Saúde. As equipes da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad), Polícia Militar e Parápaz estão juntas nessa ação que oferece ainda máscaras e kits de higiene bucal para a população.

Atendimento realizado no interior do estado

E o calendário da Policlínica Itinerante segue nos próximos dias. Os municípios da região nordeste receberão atendimento: Terra Alta, Marapanim, São João da Ponta, Curuçá, Maracanã, Magalhães Barata, São Francisco do Pará, Igarapé Açú, Primavera, Santarém Novo, Peixe Boi e Nova Timboteua.

“O sentimento de toda equipe é de missão cumprida e gratidão de poder trabalhar em frente a uma ação num momento tão delicado que a gente viveu, levando esperança para as pessoas e tratando a doença de maneira assertiva. E o melhor, garantindo para o nosso paciente o atendimento da assistência médica”, ressaltou a Dra. Liliam Gomes, diretora executiva da Policlínica Metropolitana.