Projeto de macrodrenagem do Tucunduba avança com construção de unidades habitacionais

Residenciais Riacho Doce I, II e III vão oferecer 448 novas unidades habitacionais para famílias de Belém

01/07/2020 11h50 - Atualizada em 01/07/2020 12h57
Por Matheus Rocha (SEDOP)

Trabalho em ritmo acelerado: serão 448 unidades habitacionais disponibilizadas, distribuídas nos três conjuntos em construção Everson de Souza tinha 5 anos quando a casa onde morava com sua família foi destruída por um incêndio. De lá pra cá, quase 20 anos se passaram e, durante todo esse tempo, ele manteve aceso o sonho de um dia ter uma casa nova para morar com a mãe e o irmão. Hoje, Everson trabalha como vigilante do canteiro de obras onde estão sendo construídas as unidades habitacionais do Residencial Riacho Doce II, uma obra do governo do Estado que vai garantir moradia digna para famílias dos bairros atendidos pelas obras do Projeto de Macrodrenagem da Bacia do Tucunduba, em Belém. 

“Estou esperando isso há um bom tempo. Estou muito feliz de ter a minha casa própria, meu cantinho para morar com a minha mãe e meu irmão. Trabalho aqui e vejo que a obra está indo pra frente, andando rápido. Estou realmente muito feliz”, festejou o vigilante Everson de Souza. 

Veja a galeria de fotos completa aqui.

A construção de conjuntos habitacionais faz parte do projeto de macrodrenagem do Tucunduba. Atualmente, o governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), está com obras em andamento nos residenciais Riacho Doce II e Riacho Doce III. Juntos, os dois conjuntos vão oferecer 368 novos apartamentos para atender a população. Além destes dois residenciais, o Governo também vai realizar a construção do Riacho Doce I. Ao todo, serão 448 unidades habitacionais disponibilizadas, distribuídas nos três conjuntos em construção. 

O governador Helder Barbalho vistoriou as obras na manhã desta quarta-feira (1º)

Na manhã desta quarta-feira (1º), o governador Helder Barbalho visitou as obras e destacou a importância do projeto para a cidade de Belém, sobretudo para os bairros beneficiados pela macrodrenagem do Tucunduba, como o Guamá, Terra Firme, Marco e parte do Jurunas. 

“São obras muito importantes para que esta região da cidade possa estar vivendo um novo momento de urbanização, de oferta de serviço, de readequação do planejamento ocupacional. Estamos atacando o canal do Tucunduba, fazendo com que se evitem os alagamentos e também estamos viabilizando moradia para as pessoas que hoje moram às margens do canal, de maneira indigna” - Helder Barbalho, governador do Pará. 

Obras avançam e garantirão moradia digna para famílias do entorno do Canal do Tucunduba

Para o secretário de desenvolvimento urbano e obras públicas do Pará, Ruy Cabral, a construção das unidades habitacionais é uma obra de extrema relevância. “Estes conjuntos serão incorporados ao projeto de macrodrenagem da Bacia do Tucunduba. São famílias que foram remanejadas da área do entorno do canal e agora serão estabelecidas nos conjuntos Riacho Doce I, II e III”, informou o titular da Sedop. 

Helder Barbalho visitou obras de unidades habitacionaisQuem também acompanhou a visita foi o vice-prefeito de Belém, Orlando Reis, que destacou o avanço das obras. “A construção das unidades habitacionais é um complemento que vai beneficiar inúmeras famílias que hoje se encontram em condições indignas de moradia. O Estado avança para a conclusão da obra no Tucunduba, que traz em seu bojo o resgate da dignidade de moradia das pessoas”, afirmou o gestor municipal. 

A previsão é de que as 368 unidades dos residenciais Riacho Doce II e III sejam entregues até o final deste ano. Já as obras no Riacho Doce I estão passando por processo licitatório e devem se iniciadas nos próximos meses. 

Estação de tratamento de esgoto -  Durante visita às obras do Projeto de Macrodrenagem do Tucunduba, o governador Helder Barbalho também acompanhou de perto a execução das obras de construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Riacho Doce, que receberá dejetos dos bairros atendidos pelo projeto através de novas ligações domiciliares. A previsão é que os trabalhos na estação sejam concluídos até maio de 2021.

“Estamos trabalhando para que consigamos efetivamente solucionar o problema urbano de todos os bairros que dialogam com esta região: Guamá, Terra firme, parte do jurunas e todos os que dependem fundamentalmente que a obra do Tucunduba possa sair do papel para que evite alagamento e traga tranquilidade para moradores desta região da capital”, afirmou o governador Helder Barbalho.