Belém: Policlinica Metropolitana atende mais de 40 mil pessoas em dois meses

Unidade realiza consultas, exames e encaminhamentos para internações de pacientes com sintomas da Covid-19

21/06/2020 16h53 - Atualizada em 21/06/2020 17h52
Por Jackie Carrera (SECOM)

Além da capital, ações se espalham pelos bairros da RMB e por diversos municípios do interior do Estado, por meio da Poli itineranteEm dois meses, a Policlínica Metropolitana realizou mais de 42 mil procedimentos em Belém, entre consultas, exames e encaminhamentos para internações de pacientes com sintomas da Covid-19. A estratégia do Governo do Pará foi citada como modelo pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O uso de policlínicas ajudou na identificação precoce dos casos, na adoção de terapias para conter o avanço da doença e na redução sistemática de circulação de pessoas Infectadas.

De acordo com a diretora executiva da Policlínica Metropolitana, Lilian Gomes, o êxito nas ações da Policlínica itinerante que se espalham pelos bairros da Região Metropolitana e por diversos municípios do interior do Estado, reflete uma ótima decisão tomada pelo Governo do Pará de transformar a Policlínica Metropolitana numa unidade exclusiva para o diagnóstico de pacientes com sintomas leves de novo coronavírus. 

“Nós traçamos uma estratégia assertiva muito apropriada para o momento de crise, que teve início no final do mês de abril. É uma ação muito positiva, evitando a ocupação de leitos hospitalares e o agravamento dos pacientes. Quero reiterar o compromisso de toda uma equipe envolvida nestes dois meses de atendimento, de que o que nós queremos é garantir que a população tenha uma assistência à saúde pública de qualidade e preocupada, humanizada, indo até onde o nosso paciente está, que muitas vezes não é tão fácil chegar. Nós temos atuado em regiões de Belém com difícil acesso, inclusive em áreas ribeirinhas”, disse a diretora.

A unidade tem capacidade para fazer até mil atendimentos por dia, e funciona de domingo a domingo, das 7h às 19h. Atende somente casos de baixa e média complexidade, que são avaliados por equipe qualificada. Sendo necessário, pacientes são encaminhados para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).