Técnicos da Emater participam de capacitação ministrada pelo Banco da Amazônia

19/02/2020 15h26 - Atualizada em 19/02/2020 18h08
Por Rodrigo Reis (EMATER)

Técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) participam, até a próxima sexta-feira (20), na Unidade Didática de Bragança (UDB), nordeste paraense, de uma capacitação ministrada por representantes do Banco da Amazônia sobre os canais digitais disponibilizados pela instituição para internalização de projetos de créditos. Neste primeiro encontro, o foco será no acesso digital ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

No total, participam 52 técnicos, que pertencem a escritórios da Emater dos regionais Ilhas, Castanhal, Capanema, São Miguel, Tocantins e Marajó.

Segundo a presidente da Emater, Cleide Amorim, a capacitação é um compromisso com os técnicos, no sentido de prepará-los no acesso as plataformas digitais da instituição bancária. Em relação ao Banco da Amazônia, a ideia é esclarecer as dúvidas dos técnicos e também sugerir ideias para facilitar este acesso. “O treinamento vai percorrer o Estado inteiro. Já há conversas, inclusive, com as superintendências do Banco em Santarém e Marabá, para aplicar o mesmo treinamento aos demais funcionários”, disse.  

Segundo dados do Banco da Amazônia, em 2019 foram aplicados cerca de R$ 1,5 bilhão em programas de créditos rurais no Estado do Pará, sendo R$ 893 milhões somente na agricultura familiar e, desses, R$ 120 milhões destinados ao Pronaf, com destaque para as modalidades "Mais Alimentos" e "Floresta".

De acordo com o superintendente do Banco da Amazônia “Super” no Pará e Amapá, Edmar Bernardino, a proposta do encontro é fortalecer e ampliar a parceria entre as duas instituições, com a construção de uma agenda de trabalho contínua para se chegar ao maior número possível de agricultores rurais cadastrados em programas de crédito. “O ano de 2019 foi muito bom na aplicação de crédito rural no Estado do Pará, então, para este ano, a meta é superar, por isso a parceria da Emater é fundamental nessa frente de trabalho. Durante o treinamento, os participantes vão conhecer, de fato, como funciona nossas ferramentas” garante.

Bruna Santos, técnica em agropecuária do escritório local de São Sebastião da Boa Vista, no Marajó, comenta que o encontro tem sido “proveitoso”. “Já tinha contato com essas plataformas digitais do banco, mas, é sempre bom se aperfeiçoar, se atualizar”.

A equipe do Banco da Amazônia explanou também sobre o aplicativo "Terras", utilizado pelos técnicos para elaborar proposta de crédito rural, incluindo informações de cadastro pessoal e da propriedade do agricultor, por exemplo.

Crédito Rural – Em 2019, a Emater elaborou 2.832 projetos de crédito em todo o Pará. Após aprovados pelas instituições bancárias, o montante totalizou mais de R$ 80 milhões em contratos. Em Água Azul do Norte, no sudeste paraense, por exemplo, o escritório local trabalhou em dois grandes projetos-pilotos, que contemplaram investimentos fixos e semi-fixos especificamente na pecuária de corte e leite, com inserção de tecnologia. Os projetos juntos somaram R$ 1,7 milhão. Os projetos foram financiados pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) do Banco da Amazônia.

Também na região sudeste, município de Bom Jesus do Tocantins, a Emater elaborou projeto de crédito de R$ 1 milhão na modalidade Pronaf "Mais Alimentos" para produtores de leite do município. O valor aprovado foi dividido da seguinte maneira: R$ 729 mil para investimentos na produção e R$ 282 mil destinado ao melhoramento genético e infraestrutura da propriedade.

Ainda, para 2020, Cleide Amorim explica que a Emater trabalha com a expectativa de elaborar projetos que, se aprovados, devem chegar a R$ 200 milhões em contratos. “Nesse sentido, a capacitação de técnicos é de fundamental importância para dar mais celeridade aos processos. Quem vai ganhar com isso, com certeza, é o agricultor, já que os projetos geram renda e, também, empregos para os municípios”, finaliza.