Governo do Pará busca parcerias para garantir o primeiro emprego

Empresários do Pará são convocados a unir esforços com o Estado para oferecer oportunidade de trabalho à juventude

30/01/2020 16h21 - Atualizada em 30/01/2020 17h03
Por Larissa Noguchi (SECOM)

O governador Helder Barbalho disse que o objetivo é ″criar um movimento a favor da formação e da oportunidade″

Com o objetivo de aumentar a rede de parceiros do Estado, o governador do Pará, Helder Barbalho, recebeu na manhã desta quinta-feira (30), no Palácio do Governo, em Belém, empresários de diversos setores comerciais. A reunião foi para apresentar o Programa Primeiro Ofício, lançado em setembro de 2019, que busca parcerias para incentivar as empresas a aderirem ao programa. “Quero fazer o chamamento, para que todos nós sejamos sensíveis a oportunizar o primeiro emprego. É isto que compõe este programa. Vamos criar um movimento a favor da formação e da oportunidade. Gostaria de pedir a participação de todos vocês”, ressaltou o governador.

O governador Helder Barbalho e o secretário Inocêncio Gasparim no lançamento do programaDe acordo com o secretário de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Inocêncio Gasparim, as empresas que firmam a parceria com o “Primeiro Ofício” se comprometem a garantir 30% das vagas para jovens que cumprem medidas socioeducativas em unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), egressos do sistema penitenciário ou filhos de detentos, além de moradores dos bairros atendidos pelo Programa Territórios pela Paz (TerPaz). “As empresas já são obrigadas por lei a ter até 15% do seu quadro voltado para o Programa Jovem Aprendiz. Nós estamos reforçando esse cenário, proporcionando que o jovem em situação de risco social possa ter uma oportunidade”, informou o titular da Seaster.

Helder Barbalho e um grupo de empresários

O empresário Jó Bezerra, cujo empreendimento desenvolve softwares e outras tecnologias, assinou o termo de compromisso, e garantiu que aumentará o quadro de funcionários para fazer parte da iniciativa do governo. “Para nós, será muito gratificante ajudar o Estado a se desenvolver. O objetivo é trazer esse jovem, que tenha um início a algum curso ou afinidade com tecnologia, e poder transformar esse jovem em um grande profissional”, disse o empresário.Inocêncio Gasparim (d) explicou a dinâmica do programa aos empresários

Cidadania - Não há inscrição ou cadastro por parte dos jovens interessados. A demanda abrangerá aqueles atendidos pela Fasepa e TerPaz. É obrigatório estar regularmente matriculado na rede pública de ensino fundamental, médio ou superior. As empresas que aderirem à iniciativa ganham o selo de reconhecimento social Empresa Cidadã.

Clóvis Carneiro, presidente da Associação Comercial do Pará (ACP), reafirmou a importância da parceria entre empresários e governo para garantir oportunidades aos jovens. “Os negócios só podem prosperar num ambiente de paz e de interação social. Por isso, nós saudamos esse programa, e dou o meu depoimento: um dos melhores times de estagiários que já tive era de alunos da Escola Técnica de Icoaraci, que entraram pelo Programa Jovem Aprendiz”, acrescentou.

Clóvis Carneiro (e), da ACP, ressaltou a importância da iniciativa do Governo do Pará