Polícia Civil desarticula 'queijarias' clandestinas na zona rural de Marabá

Agentes encontraram peças do produto sendo produzidas e estocadas sem as mínimas condições de higiene

26/01/2020 19h46 - Atualizada em 27/01/2020 08h20
Por Cristiani Souza (PC)

A Polícia Civil, por meio da Unidade Policial de Marabá, deflagrou, no sábado (25), a primeira fase da operação denominada “Salutar”, com objetivo de reprimir crimes contra a saúde pública, as relações de consumo, ordem tributária e associação criminosa, com ramificações em outros estados da federação. Cerca de 17 toneladas de queijo impróprio para consumo foram apreendidos.

A operação policial consistiu no cumprimento de mandados judiciais de busca e apreensão em três laticínios clandestinos, conhecidos por “queijeiras” ou “boquetas”, na zona rural de Marabá, respectivamente às proximidades das vilas Maravilha, Cupu e Bandeirante.

A ação contou com o apoio de auditores fiscais federais do Ministério da Agricultura (Mapa), lotados no Serviço de Inspeção Federal (SIF), responsável por exercer as atribuições de vigilância sanitária federal.

Os policiais civis e auditores federais do Mapa depararam-se com cenários deploráveis, nas quais as peças de queijo eram produzidas e estocadas sem as mínimas condições de higiene, em ambiente repleto de moscas, fétido, úmido e sem refrigeração.

De acordo com os agentes que participaram da ação, há indicativos de que grande parte da produção estivesse sendo comercializada para outros estados da federação e “esquentada”, fraudulentamente, por meio de emissão de notas fiscais frias e através da colocação inadequada de selos de autorização sanitária, com escopo de enganar a fiscalização e o consumidor final.

A ação policial-sanitária contou ainda com a participação de servidores da Secretaria de Postura da Prefeitura de Marabá e outras autoridades municipais, que apoiaram toda a logística da operação, sobretudo com os caminhões necessários para transporte de toda a carga aprendida, além de franquear o Aterro Sanitário Municipal para descarte e inutilização do material de forma adequada e ambientalmente correta.