Mais de 500 pessoas se inscrevem para a Escola de Inverno da Uepa

Ao todo, 13 minicursos foram ofertados de forma gratuita à comunidade

17/01/2020 12h11 - Atualizada em 17/01/2020 13h50
Por Igor Oliveira (SECOM)

“Sempre me interessei em saber mais sobre reciclagem e resíduos sólidos, mas faltava tempo ou só encontrava cursos caros. Agora consegui essa oportunidade e vou aproveitar”. É a conclusão de Givanildo Vasconcelos, que trabalha com marcenaria e aproveitou esta sexta-feira (17) para se matricular no minicurso Resíduos Sólidos, Reciclagem e Sustentabilidade ofertado pela 6ª edição da Escola de Inverno da Universidade do Estado do Pará (Uepa).

O evento é organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) da instituição  e promove - através de minicursos com temas ambientais e relacionados a questões sociais, econômicas e culturais - a aproximação entre universidade e sociedade. As inscrições ocorrem de 13 a 17 de janeiro, no Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT) da Uepa.

Inicialmente, cada minicurso da Escola de Inverno permitia até 20 alunos inscritos, mas a organização aumentou o número de vagas por conta da alta procura. Foram realizadas mais de 550 matrículas até o dia de encerramento das inscrições. Os participantes que apresentarem 100% de frequência no minicurso escolhido receberão certificado para comprovação curricular. 

Entre os minicursos ofertados estão: Resíduos Sólidos, Reciclagem e Sustentabilidade; Análise de Indicadores de Viabilidade Econômica para Sistemas Agroflorestais (SAFS); Elaboração e Publicação de Artigos Científicos; Elaboração, Prenchimento e Comprovação de Curriculum na Plataforma Lattes; Os Redutivismos da Filosofia Política e a Crítica da Política da Libertação; Aproveitamento de Escamas de Peixes para Confecção de Biojoias e Ecojoias. 

Troca de aprendizado - A organizadora da Escola de Inverno, Enilde Aguiar, afirma que os 13 minicursos ofertados são voltados para o público em geral. “São aulas gratuitas, com temáticas atuais. Logo no início do ano, foram apresentadas diversas propostas de ementas para os cursos. Foi feita uma análise e selecionamos as mais consistentes com a linha de atuação do PPGCA. A ideia é que as pessoas, além do aprendizado nas aulas, também se aproximem do ambiente universitário para trocar experiências”, explica Enilde.

É o caso de Givanildo. O marceneiro foi à universidade inicialmente interessado em enriquecer o currículo profissional, mas teve curiosidade em conhecer mais sobre a instituição e optou por se inscrever em um segundo minicurso, com o tema Análise de Indicadores de Viabilidade Econômica para Sistemas Agroflorestais. Além de conhecer mais sobre a sua área de trabalho, Givanildo demonstra outros planos a partir do aprendizado. “Quem sabe consigo uma nova profissão ou volto a estudar?”, revela.

A faixa etária dos inscritos é variada. “Já veio uma família se inscrever para o minicurso ‘Serpentes: diversidade e origem’, incluindo um garoto de 12 anos, que ficou curioso com o tema. Também já veio um senhor de 70 anos interessado em reciclagem. É um público bem diversificado”, explica Gysele Costa, estudante do PPGCA e uma das responsáveis pelas inscrições na Escola de Inverno.

Além do enriquecimento profissional, muitos inscritos buscam atualizar o conhecimento acadêmico. Desde alunos se preparando para a próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) até interessados em fazer pós-graduação. A engenheira ambiental, Carla Madeira, cogitou o minicurso sobre resíduos sólidos, mas fez outra escolha ao ver os outros temas disponíveis. “Como tenho mais experiência com a área de resíduos, preferi me inscrever nas aulas sobre indicadores para sistema agroflorestais, além do curso de método de valoração ambiental. Assim posso me preparar melhor para especialização ou mestrado”, observou.