Governo e Ministério assinam acordo de investimento de R$ 350 milhões para o setor portuário

A assinatura do protocolo de intenções para ampliação do projeto de desenvolvimento e reforma do complexo portuário de Belém tem o objetivo de valorizar o potencial oferecido pelos rios da cidade.

18/12/2019 15h49 - Atualizada em 08/01/2020 11h06
Por Igor Oliveira (SECOM)

O ministro retorna ao Pará após visita em fevereiro quando vistoriou a rodovia BR-163.

O governo do Pará e o Ministério da Infraestrutura assinaram, nesta quarta-feira (18), em Belém, os contratos de arrendamento de 5 áreas portuárias localizadas na capital e em Vila do Conde (nordeste do estado) e o memorando de entendimento para a criação de um grupo de trabalho para estudo de áreas do porto da Companhia de Docas do Pará, além do protocolo de intenções para ampliação do projeto de desenvolvimento e reforma do complexo portuário de Belém. O investimento previsto nos espaços é de pelo menos R$ 350 milhões.

As áreas portuárias de Belém BEL 02A, BEL 02B e BEL 04 foram arrendadas pelo prazo de 15 anos, enquanto a área BEL 08 - também na capital - ficou sob o período de 20 anos. Já a área VCD 12, em Vila do Conde, tem prazo de arrendamento por 25 anos.

Foram assinados os contratos de quatro áreas do terminal Miramar, em Belém, e uma área do porto de Vila do Conde, em Barcarena.

Participaram do evento o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas; o governador do Estado do Pará, Helder Barbalho; o governador do Estado de Tocantins, Mauro Carlesse; o deputado federal, Joaquim Passarinho; o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni; o presidente da Companhia Docas do Pará, Eduardo Bezerra; o presidente da Companhia de Portos e Hidrovias (CPH), Abraão Benassuly; e demais autoridades.

A consolidação da vocação portuária do Pará e o aumento de ofertas na área foram destacadas por Helder Barbalho na ocasião.

“Isso agrega novas operações, gera emprego e renda dentro do conceito que a logística é uma vocação do estado, com portos e hidrovias interligados com rodovias e ferrovias que podem fazer com que o Pará seja mais competitivo”, ressaltou o governador do Pará.

O ministro também destacou o crescimento do estado em outras modalidades de transporte, citando os projetos de continuidade da duplicação da BR-316 BR-316 e da pavimentação da BR-308 e a construção da Ferrovia Pará - entre os municípios de Marabá e Barcarena  Aeroportos - como exemplos de investimento em outros setores da logística regional.

Para o ministro Tarcísio Freitas, as assinaturas demonstram que o governo paraense investe no desenvolvimento da economia regional. “Além do aproveitamento de áreas sub-utilizadas para gerar empregos, o Pará mostra seu trabalho para se inserir na logística brasileira”, observa.

O presidente da CDP, Eduardo Bezerra, reforçou a importância do do Estado trabalhar de maneira conjunta ao governo nacional. “Trabalhamos com toda nossa capacidade, sempre observando o compromisso com o crescimento não só do Pará, mas do Brasil. Esse é o nosso propósito”, enfatizou.  

Integração urbana

Helder Barbalho destacou que a assinatura do protocolo de intenções para ampliação do projeto de desenvolvimento e reforma do complexo portuário de Belém tem o objetivo de valorizar o potencial oferecido pelos rios da cidade. “A Baía de Guajará é um espetáculo natural que faz parte de Belém, mas não se consegue usufruir a visão dela como deveria.  Dialogando com o ministro Tarcísio, mostramos que parte dos armazéns estão inutilizados ou subutilizados e, assim, queremos investir na transformação dessa região para que ela possa oferecer uma grande orla e se integre ao crescimento urbano da capital”, observou o chefe do executivo paraense. Helder ressaltou ainda que o projeto vai contribuir para mobilidade urbana e para as demandas de lazer e turismo da capital.

Ouça: